PUBLICIDADE
Topo

Milton Neves

Sem a sorte da temporada passada, Palmeiras não faz cócegas em Galo e Fla

Conteúdo exclusivo para assinantes

Milton Neves

13/09/2021 09h50

Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Muitas frases são atribuídas ao genial cronista Nelson Rodrigues. 

E uma das que mais gosto é: "Sem sorte não se chupa nem um Chicabon. Você pode engasgar com o palito ou ser atropelado pela carrocinha".

Adoro usar em meus comentários também que "a sorte é o encontro da capacidade com a oportunidade" (esta, de autor desconhecido).

E é verdade, é preciso ter boa ventura em tudo que tentamos realizar em nossas vidas. 

Mas, olha, francamente, não sei se existe melhor exemplo de sorte no futebol nos últimos tempos do que a que deu o Palmeiras de Abel Ferreira na temporada passada. 

Gente, o time alviverde é muito bom no papel, claro.

Mas, na prática, é um deserto de ideias!

Na Libertadores deu sorte contra o River, que merecia demais a vaga na final. 

E a vitória contra o Santos, na decisão, foi por pura "largura". 

Não é, Breno Lopes?

Já na Copa do Brasil, não merecia ter passado pelo América-MG, que vinha voando com Lisca. 

E na final acabou pegando o fraquíssimo Grêmio, que segue patinando na zona de rebaixamento do Brasileiro deste ano. 

Mas, nesta temporada, a sorte decidiu não sorrir para o Palmeiras. 

E os ótimos Atlético e Flamengo também resolveram não dar sopa para o azar. 

Por isso, podem anotar aí, o Verdão, que já perdeu o Paulista e foi eliminado da Copa do Brasil, está em queda livre no Brasileirão e não passará pelo Galo na Libertadores nem que o Porco tussa. 

E vai acabar sobrando para Abel Ferreira, creio. 

E com razão, já que o treinador luso apresenta pouquíssimo repertório. 

Isso que dá querer contar com a sorte em toda temporada. 

Agora, a Tia Leila vai ter que dar muitos novos presentinhos ao Verdão para que a equipe do Palestra Itália possa voltar a brigar com os poderosos Atlético-MG e Flamengo. 

Opine! 

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.