PUBLICIDADE
Topo

Milton Neves

'Eu fiz vestibular para ser bandido e não passei', diz Dadá Maravilha

Conteúdo exclusivo para assinantes

Milton Neves

26/07/2021 16h24

Fernando Luiz Vieira de Mello (1929 – 2001), um dos maiores jornalistas do Brasil em todos os tempos, costumava dizer que entrevista boa era aquele que surgia no imprevisto. 

Essa história de levar pergunta anotada e pensar em roteiro para indagar o entrevistado só deixava o bate-papo quadradão. 

E eu concordo com ele! 

E ontem, na Rádio Bandeirantes, com assinatura do brilhante Guilherme Heredia Cimatti, fizemos uma dessas entrevistas de improviso e inesquecíveis. 

Começamos conversando com Renato, histórico goleiro do Atlético-MG no Brasileirão de 1971. 

E, quando o bate-papo com o ex-arqueiro chegou em histórias hilárias do grande Dadá Maravilha, o ligadíssimo Cimatti colocou na linha o próprio Dario, que também passou a se divertir com a conversa. 

Mais tarde, entrou na roda o também ex-goleiro Careca, reserva de Renato naquele time do Atlético-MG, completando a resenha espetacular com os boleiros que marcaram época no Maior de Minas. 

Mas, gente, o que me chamou a atenção mesmo foi quando Dario resolveu falar sério. 

Contou tristes episódios de sua sofrida infância, falou sobre o suicídio da mãe e deu a declaração mais marcante de sua vida: "Eu fiz vestibular para ser bandido e não passei". 

Quando ele disse isso, todos nós (Renato, Careca, eu e o próprio Dario) ficamos muito emocionados. 

E esse tremendo bate-papo (insisto, com assinatura de Guilherme Cimatti) você confere na íntegra abaixo:

E confira também as maravilhosas fotos de Dadá que abrilhantam a sua página na seção "Que Fim Levou?":

Milton Neves e Dario em 2006, no Terceiro Tempo da Record,

Na década de 70 e em 2014

Atlético Mineiro, em 1968. Da esquerda para a direita, em pé: Humberto Monteiro, Vanderlei, Vander, Mussula, Djalma Dias e Cincunegui. Agachados: Vaguinho, Carlinhos, Dario, Oldair e Tião. Foto enviada por José Eustáquio

Atlético Mineiro, em 1972. Da esquerda para a direita, em pé: Mazurkiewicz, Raul Fernandes, Oldair, Vanderlei Paiva, Vantuir e Cláudio Mineiro. Agachados: Guerino Neto, Spencer, Dario, Lola e Romeu. Foto enviada por José Eustáquio

Time do Atlético Mineiro. Da esquerda para a direita, em pé: Warlei, Mussula, Vanderlei, Grapete, Normandes e Cincunegui. Agachados: Ronaldo, Amauri Horta, Dario, Lola e Tião. Foto enviada por José Eustáquio

Time do Campo Grande Atlético Clube-RJ, em 1967. Da esquerda para a direita, em pé: o treinador Gradim é o último. Agachados: Dario é o primeiro. Foto enviada por José Eustáquio

Dario com o agasalho da Seleção Brasileira em 1970. Foto enviada por José Eustáquio

Reinaldo é segundo da esquerda para a direta, Toninho Cerezo e Dadá é o sexto.

De chinelos nos pés, jogadores do Inter em frente à concentração, em 1976. Da esquerda para a direita, o segundo é Marinho Peres, seguido por Dario, Escurinho e o massagista Alexandre. Foto: História do Sport Club Internacional

Bagatini, goleiro do Caxias, salta para defender a bola, disputando no alto com Dario. Entre eles, Felipão, chocando-se contra o seu goleiro. O colorado Jair observa o lance e, mais atrás, o ponta Valdomiro. Foto: arquivo pessoal de Bagatini

Lendas! Dadá Maravilha e Zico, grandes craques do futebol brasileiro

Dario, sempre sorridente ao lado de um grande fã, o cantor Kledir, da dupla Kleiton & Kledir, em 5 de abril de 2014, dia da reinauguração do Beira-Rio, em Porto Alegre. Foto: Victor Hugo/arquivo pessoal de Kledir

Equipe do Atlético-MG no Morumbi em 21 de setembro de 1969. O Galo venceu o São Paulo por 5 a 2. Em pé, da esquerda para a direita: Normandes, Humberto Monteiro, Grapete, Vanderlei Paiva, Mussula e Cincunegui. Agachados. Ronaldo Drummond, Oldair, Dario Vaguinho e Tião Rocha. Foto enviada por Walter Roberto Peres

Em 06 de novembro de 2013, o comitê organizador da Copa elegeu ex-atletas e atuais como os embaixadores da Copa em Minas Gerais, da esquerda para direita: Paulo Isidoro, Piazza, Sorin, Gilberto Silva, Reinaldo, Dadá Maravilha, o então governador Antonio Anastasia, Júlio Baptista, o prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, Ronaldinho Gaúcho, Nelinho, Luizinho e Éder Aleixo. Crédito da foto: Omar Freire, da Imprensa oficial do Governo do Estado de Minas Gerais.

Em pé, da esquerda para a direita, China, Marcão, Eli, Luis Florêncio, Merica e Nelson. Agachados, da esquerda para a direita, Bendelack, Carlos Alberto, Garciia, Hidalgo, Dario e Edu. Foto enviada por Gilvannewton Souza

O simpático Dadá Maravilha foi um dos convidados no Troféu Telê Santana de 2013. Foto: Jefferson Veloso/www.juninhojornalismo.com.br

Dadá Maravilha foi o quinto maior artilheiro do futebol brasileiro com 926 gols, e o segundo da história do Atlético Mineiro com 211 gols marcados. Imagem: Hall da Fama, Troféu Telê Santana

Dadá Maravilha é homenageado no Jogo da Solidariedade em Minas Gerais. Foto enviada por Ianderlon Almada

Dadá Maravilha é homenageado no Jogo da Solidariedade em Minas Gerais. Foto enviada por Ianderlon Almada

Dadá (à direita) novamente em foto no jogo da Solidariedade em Piumhi, MG. Enviada por Ianderlon Almada

Dario (à esquerda) participa sempre do jogo organizado na cidade de Piumhi, para arrecadar alimentos e dinheiro doados para entidades filantrópicas. Foto enviada por Ianderlon Almada

Revista Placar presenteia o leitor com um pôster de Dadá Maravilha em 1970

Dadá estampa capa da revista Placar durante a Copa de 70

Campeões do mundo de diversas gerações da seleção brasileira participam de evento promovido por Cafu para celebrar os 10 anos do pentacampeonato, no dia 30 de junho de 2012: em pé, da esquerda para a direita, Flávio Murtosa aparece parcialmente encoberto, Jair Marinho, Pepe, Gilmar Rinaldi, Dádá Maravilha, se apoiando em Coutinho, Clodoaldo e Piazza. Sentados, Juninho Paulista e, com a taça da mão, o saudoso Félix. Foto: UOL

Da esquerda para a direita, ao fundo: Ricardinho, Zito e Felipão (encobertos por Cafu), Piazza, Juninho Paulista, Murtosa (atrás de Jair Juninho Paulista), Jair Marinho, Pepe (atrás de Jair Marinho), Gilmar Rinaldi, Coutinho, Dadá Maravilha (atrás de Coutinho), Clodoaldo. À frente: Regina, Cafu segurando a taça, Ado (sentado e parcialmente encoberto por Cafu), Daniela Mercury e Felix. Foto enviada por Diego Abib

Da esquerda para a direita, ao fundo: Ricardinho, Zito, Felipão, Piazza, Murtosa, Pepe, Gilmar Rinaldi, Dadá Maravilha, Clodoaldo e Carlos Pracidelli. À frente: Cafu (de costas), Ado, Coutinho, Juninho Paulista (agachado), Félix e Coutinho. Foto enviada por Diego Abib

Da esquerda para a direita, em pé: Carlos, Oscar Bernardi (o quinto), Polozzi (o sétimo), Vanderlei Paiva, Rafael Cammarota, Jair Picerni, Odirlei e o técnico Zé Duarte (o último). Agachados: Marco Aurélio (o terceiro), Dada Maravilha (o sexto), Dica e Tuta. Foto enviada por Gilvannewton

Dadá Maravilha (de camisa branca), aqui atuando pelo Sport, anotou 10 gols em uma única partida, contra o Santo Amaro. Foto reprodução da Revista Placar

Em 2009, o ex-atacante Dadá Maravilha, à direita, recebe homenagem na cidade de Formiga-MG. Foto: Carlos Diniz

Carlos Diniz, à esquerda, com Dadá Maravilha. Foto: Carlos Diniz

Equipe colorada no Beira-Rio em 1976, com seu uniforme branco. Em pé, da esquerda para a direita: Zé Maria, Manga, Figueroa, Vacaria, Marinho Peres e Falcão. Agachados: Valdomiro, Jair, Escurinho, Caçapava e Dario. Foto enviada por Gilvannewton Souza

No Hall da Fama do Galo. Reprodução do site www.contagiandomultidoes.com

Veja Dadá Maravilha (à esquerda da foto) no Campo Grande, em 1968. De lá, seguiria para o Atlético-MG. Foto enviada por Walter Roberto Peres

Em pé, da esquerda para a direita: Nelinho, João Leite, Luizinho, Vantuir, Cincunegui e Toninho. Agachados: Oldair, Paulo Isidoro, Reinaldo, Dario e Éder. Técnico: Telê Santana. Foto: Revista Placar

Encontro dos autores do livro com o grande ídolo do Galo. Da esquerda para a direita, estão Rafael Sanches, Dadá Maravilha e Baroni Neto. Foto enviada por Rafael Silvestre

Foto enviada por Mário Américo Netto

Em pé, da esquerda para a direita: China, Marinho Macapá, Murica, Marcão, Reginaldo e Antônio Carlos. Agachados: Bendelak, Carlos Alberto Garcia, Dadá Maravilha, Hidalgo e Edu. Foto enviada pelo internauta Waldevir Bernardo dos Santos

Da esquerda para a direita: Elias, Dadá Maravilha, Guaraci, Moura e de calça comprida e camisa está Paulo Borges. Foto enviada por Toninho Becon

No FCFC (Fim de Carreira Futebol Clube), sendo homenagiado. Foto: Site do Fim de Carreira Futebol Clube

Dadá Maravilha em Bom Despacho-MG, em festa do Fim de Carreira Futebol Clube. Foto: Site do Fim de Carreira Fuetebol Clube

Djalma Santos e Dadá Marvilha colocando os pés na calçada da fama do Maracanã. Foto tirada no dia: 13/04/2010.

Crédito da montagem: Jamanta

Dadá Maravilha com amigos no Uberaba Country Clube. Foto enviada por Geraldo Saturnino de Medeiros

Levantando sua camisa branca do Atlético Mineiro, Dario exibe a barriga enxuta. No rosto, o sorriso de quem acabou de ajudar o Galo em mais uma vitória. Foto enviada po Ivan Bastos

Em pé: Piazza, Marinho Chagas, Clodoaldo, Wendell, Renato, Leão, Paulo César Caju, Dirceu, Leivinha, Luis Pereira e Zé Maria. Sentados: Valdomiro, Marco Antônio, Moisés, Carbone, Edu, Dario, Rodrigues Neto, Rivellino, Chiquinho Pastor, Jairzinho e Palhinha

Nessa foto rara aparecem no mesmo time Dadá Maravilha e Reinaldo, dois ídolos eternos do Atlético Mineiro. No meio dos dois aparece Isac Batista, pai de Isac, colaborador da comunidade do Galo no orkut que nos enviou gentilmente a foto acima. O time da foto é o Grêmio de Manhumirim

Antes de começar o clássico entre Atlético Mineiro e Cruzeiro, Dario e Tostão se cumprimentam. Que camisas lindas os craques estavam vestindo… Foto enviada por Walter Roberto Peres e publicada na Revista Placar

Em pé: Manga, Cláudio Duarte, Figueroa, Vacaria, Marinho Peres e Falcão. Agachados: Valdomiro, Batista, Dario, Caçapava e Lula. Foto enviada por Silvio Bassani

Vejam o time do Atlético Mineiro que disputou a Taça de Prata. Em pé: Careca, Humberto Monteiro, Vanderlei, Grapete, Vantuir e Cincunegui. Agachados: Vaguinho, Oldair, Dario, Lacy e Tião. Foto enviada por Walter Roberto Peres e publicada na "Revista Manchete"

O primeiro é Dadá Maravilha, seguido por Humberto Ramos, dois ex-atletas não identificados, Antenor e filho de Ângelo, ex-meio campo do Galo. A moça também não foi identificada. Quem nos ajuda?

Dario, Lola, Dadazinho e Lolinha

Veja esse Paysandu de 1979. Em pé, da esquerda para a direita, aparecem: Carlos Veloso, Albano, Chico Alves, Paulo Guilherme, Aldo e Marcos. Agachados: Evandro, Carlinhos Maracanã, Dario Maravilha, Roberto Bacuri e Lupercínio.

Dadá ao lado de Renê Santana, filho do mestre Telê Santana, em foto tirada por ocasião do lançamento da réplica da camisa atleticana da década de 1970

O garoto, de pé, é o hoje sargento da PM de Minas Gerais Marcos Machado, nosso internauta, que nos enviou essa foto tirada em 1972 na cidade de Patrocínio-MG, antes de um Galo 1 x 0 Patrocínio. Telê Santana é o primeiro em pé da esquerda para a direita. Na mesma fileira, Getúlio é o 4°, o goleiro Careca o 5°, Toninho Cerezo o 7° e Romeu o 9°. Agachados: Campos é o 2°, Marcelo o 3° e Dario o 4°.

O Galo mais lindo do mundo em 1968 com Humberto Monteiro, Vânder, Vanderlei, Djalma Dias, Mussula e Cincunegui em pé e agachados Vaguinho, Amaurí, Dario, Oldair e Tião

Bahia bicampeão baiano de 1981 e 82. Na Fonte Nova lotada vemos Ronaldo, Edinho, Édson Soares, Zé Augusto, Helinho e Washington Luis em pé; agachados estão Sena, Osni, Leo Oliveira, Dario, Emo e Róbson

Galo do início dos anos 70. Em pé Bibi, Vanderlei Paiva. Mazurkievski, Grapete, Vantuir e Oldair; agachados Guará, Humberto Ramos, Dario, Hamilton Melo e Serginho.

Veja a mesma foto da capa da Placar. O fotógrafo foi tão preciso que Dadá aparece com três pernas.

Revista Placar de 1970, lançada poucos dias antes do início da Copa do Mundo do México, retrata Dadá e sua presença na lista de Zagallo

Flamengo em 1973. Da esquerda para a direita, em pé, vemos Renato, Moreira, Fred, Chiquinho, Liminha e Rodrigues Neto; agachados estão Vicentinho, Paulo Cesar, Dario, Doval e Arílson.

Em foto da revista Placar vemos um time do Flamengo de 1973. Em pé estão o goleiro Renato, Moreira, Chiquinho, Fred, Liminha e Rodrigues Neto; agachados vemos Rogério, Paulo Cesar Caju, Dario, Zico e Arilson.

No triangular final do primeiro Campeonato Brasileiro, em 1971, Atlético Mineiro, São Paulo e Botafogo se enfrentaram. O Galo acabou campeão, mas a partir daquele momento formaram-se três novos clássicos nacionais. Na imagem, do começo dos anos 70, veja as equipes de Atlético e São Paulo, no Mineirão, ouvindo o hino nacional. Da esquerda para a direita: Dadá Maravilha, Vanderlei, Vantuir, Ronaldo, Humberto Monteiro, Lola, Humberto Ramos, Grapete, Tião, o goleiro Renato, pessoa não identificada, o trio de arbitragem, o goleiro Sérgio Valentim, Toninho Guerreiro, Forlan, Teodoro, Samuel, Paulo Nani, Gilberto Sorriso, Arlindo, Terto e Paraná.

Seleção Brasileira em 1972. Em pé estão Mário Américo, Leão, Rodrigues Neto, Vantuir, Brito, Gérson, Tostão, Leivinha, Sérgio Valentim e Nocaute Jack; na fila do meio vemos Eurico, Dirceu Lopes, Clodoaldo, Jairzinho, Rivellino, Rogério, Marco Antônio e Piazza; sentados estão Zé Maria, Luis Carlos Galter, Dadá Maravilha, Marinho Peres, Paulo Cesar Caju e Lula.

O Galo ao lado da massa no Mineirão em 1971 com Renato, Zé Maria, Normandes, Vanderlei, Vantuir e Oldair em pé e Ronaldo, Humberto Ramos, Dario, Lola e Tião agachados. Foto enviada pelo internauta Walter Peres.

Novamente em um Sport x Santa Cruz. Dessa vez Dadá e Mazinho (esq) são homenageados por seus grandes feitos no futebol pernambucano.

Dadá Maravilha e Mazinho (dir), em 1973, antes de um clássico entre Sport e Santa Cruz.

Da esquerda para a direita: Paulo Nelli, o jornalista Jurandir Santos e Dadá Maravilha, comentando um Vila Nova x Goiás, em Goiânia (GO), pela Rádio Brasil Central.

Em pé: Carlos, Julinho, Polozzi, Vanderlei, Jair Picerni e Odirlei. Agachados: Lúcio, Marco Aurélio, Dadá Maravilha, Dicá e Tuta.

No dia 27 de março de 2005, o Cordeiro FC, da cidade de Cordeiro, no interior do Rio de Janeiro, inaugurou em seu estádio o "Muro da Fama", que homenageia grandes nomes da história do futebol brasileiro. Dada Maravilha foi um dos homenageados. Atrás, na fila para também ser homenageado, estava o meia Zinho.

Nos anos 70, apenas três coisas paravam no ar: helicóptero, beija-flor e Dadá Maravilha.

Em pé: Renato, Humberto Monteiro, Grapete, Vanderlei, Vantuir e Oldair. Agachados: Ronaldo, Humberto Ramos, Dario, Beto e Romeu.

Acima, a delegação do Brasil que venceu a Copa 70, no México. Zagallo era o técnico e Parreira , o preparador físico reserva. Em pé, da esquerda para a direita: Rogério, Cláudio Coutinho, Carlos Alberto Parreira, Félix, Joel Camargo, Leão, Fontana, Brito, Clodoaldo, Zagallo e Admildo Chirol. Segunda fileira: Mário Américo, Rivellino, Carlos Alberto Torres, Baldochi, Wilson Piazza, Everaldo, Paulo César Caju, Tostão, Marco Antonio e Ado. Sentados: Edu, Zé Maria, Dadá Maravilha, Gérson, Roberto Miranda, Jairzinho, Pelé e Nocaute Jack. Deles, já morreram Coutinho, Fontana, Admildo Chirol, Mário Américo, Everaldo e Nocaute Jack.

Em pé: Renato, Humberto Monteiro, Grapete, Vanderlei, Vantuir, Oldair e Telê Santana. Agachados: Ronaldo, Humberto Ramos, Dadá Maravilha, Lola e Tião.

Dadá, que "parava no ar", se emocionou ao falar de sua carreira no Terceiro Tempo

Dadá ao lado de Paulo Roberto Martins, o Morsa.

Dadá, Paulo Morsa Martins, , Osmar de Oliveira e Milton Neves

Dadá Maravilha participou do programa Terceiro Tempo da Rede Record no dia 2 de abril de 2006.

Dário Peito-de-Aço (à direita) estava olhando o quê?

Em pé: Renato, Humberto Monteiro, Grapete, Vanderlei, Vantuir, Oldair e Telê Santana. Agachados: Ronaldo, Humberto Ramos, Dadá Maravilha, Lola e Tião.

Da esquerda para a direita: Dadá Maravilha, Paulo Roberto Maluco (ex-Lusa e Atlético-PR) e Edu (ex-Santos)

Náutico em 1984. Em pé estão Lourival, Solito, Douglas, Luciano Veloso, Isidoro e Carlinhos; agachados estão Dada Maravilha, Paulinho, Brás, Evaristo e Jadir

Dario e Carlos Alberto Spina (ex-Matsubara) em dezembro de 2019, em Belo Horizonte. Foto: arquivo pessoal de Carlos Alberto Spina

Treino da seleção brasileira no início dos anos 70. Da esquerda para a direita, veja Admildo Chirol (de costas), Tostão (pulando corda), Carlos Alberto Parreira, Dadá Maravilha, Marinho Peres, Leivinha e Rogério

Time do Atlético Mineiro sendo homenageado, em Belo Horizonte, após a conquista do título brasileiro de 1971. Na fileira de cima vemos Dario, de camisa branca, e abaixo dele aparece Vanderlei Paiva. Abaixo dele o goleiro Careca e Normandes (de terno escuro) e Beto (de bigode) e o goleiro Renato (de camisa branca). Também na fileira de cima, o penúltimo é o técnico Telê Santana e duas pessoas antes dele está o zagueiro Vantuir. Os dois debaixo são Oldair e Ronaldo e acima deles aparecem Pedrilho (de camisa escura), Humberto Ramos (encoberto), Grapete (de camisa branca), Guerino Neto e Humberto Monteiro (de camisa estampada).

Ataque do Atlético Mineiro no início dos anos 70, com Ronaldo, Pedrilho, Dario, Spencer e Romeu Cambalhota

João Antonio de Carvalho e Dadá Maravilha, na Fox Sports, em 2015

Dadá, Vampeta e Túlio em campanha publicitária da Cerveja Kaiser, em julho de 2018. Foto: Divulgação

Milton Neves e Dadá, preparados para mais um programa de TV, em 2007

Duelo entre Sport e Náutico em 1980. Alex tenta tirar a bola de Dadá Maravilha. Foto: arquivo pessoal de Alex

Na Globo/CBN de Campinas-SP, em 2016. Em pé, estão João Carlos de Freitas, Caio Almeida e Dadá Maravilha. Sentado, está Roberto Diogo

Carlos Diniz e Dadá Maravilha, ex-atacante e ídolo do Atlético-MG. Foto enviada por Carlos Diniz

Que timaço do Coxa. Da esquerda para a direita, Aladim, Leandro, Lela, Dario, Gaúcho e Gardei. Foto enviada por Pereira e Ramos

Dadá Maravilha e Carlos Batista, em 2016. Foto: reprodução

Dadá Maravilha (ao centro), Roberto Diogo (direita) e um amigo. Foto: reprodução

Oscar, Osvaldo Dadá Maravilha e Mineirinho em confraternização da Ponte Preta em agosto de 2016. Foto enviada por Mineirinho

Da esquerda para a direita: Edinho, Júnior e Dadá, deitado está Claudio Adão, ambos representando a Seleção Brasileira de Másters, em 2015. Foto: reprodução

Sempre brincalhão, Dadá Maravilha esgana a fã e bartender Andrea Barbosa. Foto enviada por Andrea Barbosa

Dadá Maravilha em homenagem feita pela Cereser. Foto: Reprodução

Segundo Dadá, além dele, apenas helicóptero e beija-flor também param no ar… A charge de Lucas Micheletti retrata o pensamento de Dadá Maravilha

Em 2006, no Terceiro Tempo da Record, Milton, Dadá Maravilha, Morsa e o Dr. Osmar de Oliveira

Milton Neves e Dario em 2006, no Terceiro Tempo da Record

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.