PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Blog do Milton Neves

“Vivemos de Corinthians”? Chuteira verde de Jô derrubou narrativa mentirosa

Milton Neves

21/06/2021 16h00

Lembra quando o Corinthians perdeu o Brasileirão de 2010, que a diretoria alvinegra veio com um papo de "muitos vivem de títulos, nós vivemos do Corinthians"?

Não?

Ah, então veja a imagem em destaque neste post, com simplesmente Ronaldo Fenômeno como modelo, para refrescar a sua memória. 

E, depois disso, lembro também de um papo dos corintianos de que todo mundo era "anti". 

Que todo mundo se preocupava mais com o Alvinegro do que com seu próprio time. 

Ah, e claro, os "puros" corintianos não davam bola para os rivais, só ligava mesmo para o Coringão. 

Conversinha mole, não é mesmo?

E ela mais uma vez caiu por terra com o desproporcional chilique da Fiel com Jô, que cometeu o "terrível crime" de usar chuteiras… verdes!

Ora, que pecado! 

Pelo amor de Deus, né, gente?

Com tanta coisa que o Corinthians tem que se preocupar, o clube vai esquentar a cabeça justamente com isso? 

Agora só falta a diretoria mandar embora o bom Matheus Vital, que tem olhos… VERDES!

E cortar todas as PALMEIRAS que enfeitam a belíssima entrada do Parque São Jorge

E não seria má ideia entrar em contato com a Suvinil para pintar de preto o gramado da Neo Química Arena, não é mesmo?

Ah, e vão proibir também no clube toda e qualquer obra de Gonçalves Dias, autor da "Canção do Exílio", que tem o ousadíssimo verso "Minha terra tem PALMEIRAS, Onde canta o Sabiá…".

E a multa aplicada a Jô acabou provando duas coisas:

  • Que a diretoria é muito, mas muito amadora. 
  • E que os rivais incomodam DEMAIS os alvinegros, apesar desse papo furado de "vivemos de Corinthians". 

Opine!

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.