PUBLICIDADE
Topo

Milton Neves

O dia em que Bilardo exigiu cachê de US$ 15 mil a mim e a Paulo Stein...

Conteúdo exclusivo para assinantes

Milton Neves

27/03/2021 19h09

Milton Neves e Paulo Stein em Lésigny, na França, durante a Copa de 1998. Foto: Portal Terceiro Tempo

Perdemos neste sábado (27) um dos grandes nomes da locução esportiva, o brilhante Paulo Stein, com quem trabalhei na extinta TV Manchete na cobertura da Copa de 1998, na França.

Mais uma vítima da maldita covid-19. Ele estava com 73 anos.

Narrava qualquer modalidade esportiva e era ótimo também nos desfiles de Carnaval.

Profissional completo, raro.

Guardarei do querido Paulo Stein ótimos momentos profissionais, de descontração e companheirismo naquele período de trabalho na França.

Um deles aconteceu por conta do "fora" que tomamos do treinador argentino Carlos Bilardo, então contratado como comentarista de uma emissora de seu país.

Paulo Stein comandava a mesa redonda da TV Manchete, tendo ao seu lado eu (Milton Neves), Alberto Léo (1950-2016), Oldemário Touguinhó (1934-2003),  Washington Rodrigues (o Apolinho) e Edson Mauro.

Eu, Paulo Stein e Alberto Léo encontramos Bilardo pelos corredores do centro de imprensa em Lésigny, após um jogo, e o convidamos para participar do programa.

"Querem me entrevistar? Pois não, o cachê é 15 mil dólares´, disse Bilardo…

Cada um pede o que quer, não vou discutir valores.

Mas era uma horinha de programa…

Convenhamos, um valor bem salgado…

A cadeira que tínhamos reservado para Carlos Bilardo ficou vazia, e não vimos mais "El Narigón" depois daquele encontro…

E o programa, mesmo sem Bilardo, foi ótimo, porque nosso time era muito bom e nossos paletós com o lindo "M" da TV Manchete eram os mais belos entre todos os jornalistas daquela Copa do Mundo!

Ao Paulo Stein, minha gratidão pelos ótimos momentos na Copa de 1998.

Aos seus familiares e amigos próximos, meu forte abraço neste momento de tristeza enorme.

CLIQUE AQUI E VEJA A PÁGINA DE PAULO STEIN NA SEÇÃO "QUE FIM LEVOU?"

A mesa redonda da TV Manchete em Lésigny na Copa da França de 1998. Carlos Bilardo queria cachê  de "módicos" US$ 15 mil por uma hora de programa.  Paulo Stein (à esquerda) e Milton Neves.De costas, Alberto Léo e à direita está Oldemário Touguinhó

Em Lésigny, em 1998. Oldemário Touguinhó, o narrador Edson Mauro, Paulo Stein, Washington Rodrigues (o Apolinho) e Milton Neves

Paulo Stein em ação pela Manchete. Foto: UOL

 

Paulo Stein passou pelos canais ESPN nos anos 2000. Foto: Reprodução

Deixe sua mensagem em homenagem a Paulo Stein e de carinho aos seus familiares.

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.