PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Blog do Milton Neves

'Terminar em pizza'. Conheça a origem da expressão e o seu criador!

Milton Neves

20/03/2021 07h00

O saudoso Milton Peruzzi em seu apartamento, no Guarujá. Foto: Reprodução

"Tal político roubou, roubou, roubou e nada aconteceu com ele e o seu processo TERMINOU EM PIZZA".

Certamente você já ouviu esta expressão "um milhão" de vezes no noticiário político, não é mesmo?

E você sabia, que a hoje tão popular "terminar em pizza", nasceu no nosso mundinho do futebol?

Pois foi Milton Peruzzi, o Milton Primo Pierini Peruzzo (1925-2001), então repórter setorista do Palmeiras pelo jornal "A Gazeta Esportiva", o inventor da frase que está na boca do povo brasileiro, a partir de uma situação "que não deu em nada".

Ali, pela metade da década de 1950, o Palmeiras estava em uma crise danada, e suas várias alas políticas se engalfinharam em "titânica luta" nas dependências do "COF" (Conselho de Orientação e Fiscalização) do clube.

O 'pau' quebrou por mais de dez horas até que, lá pelas 9h da noite, alguém sugeriu uma pausa para descanso ou para "tomar e comer alguma coisa".

Os briguentos então foram para uma pizzaria ao lado do clube.

Depois de muito chope, boa comida e vinho, fez-se a paz política, por milagre!

Testemunha ocular, o repórter Milton Peruzzi ligou para a redação de "O Mais Completo", e o datilógrafo de plantão, fone no ouvido, consagrou em sua velha Remington a manchete ditada pelo jovem "Polenta":

"CRISE DO PALMEIRAS TERMINOU EM PIZZA!"

Ouvindo ou lendo isso – o que ocorre toda hora e todo dia no Brasil -, lembrem-se do Milton Peruzzi.

Foi um pedido dele a mim, ao vivo na Rádio Jovem Pan, quando no Guarujá-SP. lutava contra um câncer que o levaria a óbito no dia 21 de fevereiro de 2001, que você pode ouvir na íntegra, no player abaixo:

CLIQUE AQUI E VEJA A PÁGINA DE MILTON PERUZZI NA SEÇÃO "QUE FIM LEVOU?"

A expressão "terminar em pizza", criada por Milton Peruzzi, que está nesta foto, (ele é o terceiro em pé, da esquerda para a direita). Sentados: o segundo é Delfino Facchina e os dois últimos são Pascoal Walter Byron Giuliano e Jordão Bruno Saccomani. Foto: arquivo pessoal de Gustavo Saccomani

Em fevereiro de 2013, Milton Neves contou em sua coluna na principal revista de futebol do país, a origem da expressões: "Uma janela para imprensa" e "Tudo acaba em pizza". Além de suscitar uma dúvida sobre a morte do "Tatto", da Ilha da Fantasia. Arquivo: Revista Placar

Da esquerda para a direita, em pé: Roberto Moreira Lima, Carlos Aymard, Roberto Petri, Darcy Reis, Orlando Duarte, Rose Saldiva, Milton Peruzzi, Milton Camargo, Nelson Barbosa e José Silvério. Agachados: Ciro José, Zevi Ghivelder, Osmar Santos, Ricardo Curi e José Goes. Foto: Reprodução da Revista Manchete Esportiva

No começo dos anos 70, Chico Anysio recebeu homenagem do Palmeiras. O segundo, da esquerda para a direita é Jordão Bruno Saccomani, seguido pelo técnico Oswaldo Brandão (fumando). Em pé, Chico Anysio e o repórter Roberto Carmona. Sentado, à frente de Carmona, Paschoal Byron Giuliano. À frente de Saccomani estão Mario Motta (ex-jogador) e Arnaldo Tirone (pai)

À frente, Garrincha aparece abraçado com um torcedor, enquanto o volante Zito está mais atrás, concedendo entrevista ao jornalista Milton Peruzzi. Foto: Reprodução/Revista Nossas Copas

Em pé, da esquerda para a direita: Aurélio Campos [diretor], Simplício [comediante], Ary Silva [comentarista esportivo], Iran [funcionário dos Diários Associados], Carlos Alberto [foi cameraman da TV Tupi], Caetano [discotecário] e Orivaldo [escritório]. Agachados: Jogador não identificado, Milton Peruzzi, Milton Camargo, Wilson Brasil e Cassiano Gabus Mendes. Foto: Magalhães Júnior

Festa de 32º aniversário de fundação da Aceesp, em dezembro de 1973. Carlos Aymard fala ao vivo na TV Gazeta, de Roberto Petri. Ao fundo sentados à mesa, Mauro Pinheiro (com círculo vermelho), Mário Morais (com círculo azul) e Milton Peruzzi (com círculo amarelo)

Festa de 32º aniversário de fundação da Aceesp, em dezembro de 1973. Mauro Pinheiro e Milton Peruzzi

Festa de 32º aniversário da Aceesp, em dezembro de 1973. Milton Peruzzi entrevistando Roberto Petri

Pela primeira vez na história do clube, o Clube Atlético Juventus em uma temporada internacional em uma excursão à Europa, realizando partidas memoráveis na Itália, Espanha, Suécia, Alemanha, Suiça, Áustria e na antiga Iugoslávia. Para coroar o ano, o Juventus venceu o Torneio Interestadual Jânio Quadros, ao derrotar a Portuguesa Santista por 1 a 0. A delegação do Juventus se encontrou com o Papa Pio XII, em 1953. À esquerda do Papa está o jornalista Milton Peruzzi, convidado para acompanhar a delegação e enviar as noticias para a Rádio Tupi e o jornal "A Gazeta Esportiva". Foto enviada por Mario Lopomo

O entrevistado é Ferruccio Sandoli, que foi diretor de futebol do Palmeiras. À esquerda, agachado, está Ethel Rodrigues. Em pé, de óculos escuros, o elegante Milton Peruzzi, ao lado de Semiramis Teixeira. À direita, de paletó escuro, o grande repórter Marco Antonio. Foto: arquivo pessoal de Semiramis Teixeira

Barrero entrevista Milton Peruzzi, à época narrador da Rádio Gazeta e âncora do programa Mesa Redonda, da TV Gazeta

Da direita para a esquerda: o jornalista Milton Peruzzi, o diretor do Palmeiras Ferruccio Sandoli, o técnico Filpo Nuñes, o diretor Arnaldo Tirone (que morria de medo de avião) e o repórter Tom Barbosa, o penúltimo sentado. O curioso é que os reservas ficavam sentados…no chão.

O dirigente do Palmeiras Arnaldo Tirone (de sapatos brancos) perdeu a oportunidade de conhecer o mundo, pois morria de medo de avião. Nunca subiu numa aeronave, mas acompanhava sempre a delegação do Verdão nos aeroportos. À esquerda, Milton Peruzzi e Tupãzinho. O último à direita é Valdemar Carabina. Atrás, Júlio Amaral e Ademir da Guia. Ao lado do "Divino", com a mão na cintura, de camisa branca, está Picolé.

Na TV Record, Paulo Machado de Carvalho e Milton Peruzzi

Alessandra Peruzzi, Flávio Peruzzi, Milton Peruzzi Júnior e Andressa Peruzzi. Foto: Márcio Roberto Torvano.

Nesta foto a placa da Sala de Imprensa Milton Peruzzi. Foto: Márcio Roberto Torvano.

Da esquerda para a direita estão Alessandra Peruzzi (neta de Milton Peruzzi, Flávio Peruzzi, Milton Peruzzi Júnior (filhos de Milton Peruzzi) e Andressa Peruzzi (também neta de Milton Peruzzi). Foto: Márcio Roberto Torvano.

Dois filhos do saudoso Milton Peruzzi: Flávio Peruzzi e Milton Peruzzi Júnior. Foto: Márcio Roberto Torvano.

Vejam a linda família Peruzzi no dia em que a sala de imprensa da Academia de Futebol recebeu o nome de Milton Peruzzi. Da esquerda para a direita estão Alessandra Peruzzi (neta de Milton Peruzzi), Ana Lúcia Peruzzo (esposa de Milton Peruzzo), Andressa Peruzzi (neta de Milton Peruzzi), Milton Peruzzo e Flávio Peruzzi (filhos de Milton Peruzzi). Foto: Fabio Menotti

Em junho de 2008, a direção do Palmeiras concedeu à sala de imprensa da Academia de Futebol o nome de Milton Peruzzi. Para realizar a homenagem, foram consultados membros do COF – Conselho de Orientação e Fiscalização. Foto: Fabio Menotti

A equipe da Rádio Difusora – PRF – 3. A voz dos esportes – (festival disputado pelas emissoras de esporte no Pacaembu ? anos 50). Em pé: Aurélio Campos [diretor], Simplício [comediante], Ary Silva [comentarista esportivo], Iran [funcionário dos Diários Associados], Carlos Alberto [foi cameraman da TV Tupi], Caetano [discotecário da PRF-3] e Orivaldo [escritório]. Agachados: Jogador não identificado, Milton Peruzzi, Milton Camargo, Wilson Brasil e Cassiano Gabus Mendes. Crédito da Foto: Magalhães Júnior e Lau

Em foto nos antigos estúdios da TV Record, no Aeroporto, da direita para a esquerda, estão: Milton Peruzzi, Galvão Bueno, Flávio Prado, Raul do Valle e os então dirigentes palmeirenses Ferruccio Sândoli (já falecido) e Vicente Rayola (ao fundo)

Arnaldo Tirone (ex-dirigente do Palmeiras) acende seu querido cigarrinho ladeado pelo saudoso repórter Tom Barbosa, da Rádio Record, e por Filpo Nuñez. Ferruccio Sandoli é o quarto. Milton Peruzzi é o quinto. Eli Coimbra, o sexto. O oitavo é o massagista Reis

Peirão de Castro, Athiê Jorge Cury, o saudoso presidente do Santos e Milton Peruzzi. Atrás o grande Carlos Alberto Torres e uma funcionária.

Peruzzi, Geraldo Bretas, Tavares de Miranda e Peirão de Castro: Bretas cortou o cabelo na TV ao perder uma aposta contra Mirandinha, ex-camisa 9 do Corinthians.

Empunhando seus microfones, Milton Peruzzi e Fiori Giglioti cobrem encontro de Djalma Santos com o embaixador da Hungria, antes de um Brasil e Hungria, em 1959. Ao fundo, Mauro Ramos de Oliveira. O último, à direita, é Alfredo Ramos, o Polvo.

Na Mesa Redonda da TV Gazeta, Milton Peruzzi é o último da esquerda para direita. José Silveira é o primeiro, Flávio Iazetti é o segundo e Roberto Petri é o terceiro

No dia 6 de setembro de 1965: o Palmeiras embarca para, um dia depois, entrar para a história ao golear a seleção do Uruguai por 3 a 0. O Palmeiras vestiu sozinho a camisa da CBD no Mineirão, no dia 7 de setembro de 1965. O primeiro à esquerda, carregando duas bolsas, é o goleiro Waldir Joaquim de Morais (atrás, o ponta Gildo, encoberto). Não identifiquei a pessoa que está ao lado de Odilon Sandoli (o careca) em primeiro plano, mas atrás, você vê Mário Moraes, Jordão Bruno Saccomani, Djalma Dias e Milton Peruzzi. Os quatro últimos já são falecidos.

A nova sala de imprensa "Milton Peruzzi", em homenagem ao grande jornalista

 

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.