PUBLICIDADE
Topo

Apesar de Luan e do futebol pobre, Verdão coloca a mão na taça!

Milton Neves

28/02/2021 22h54

Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Grêmio 0 x 1 Palmeiras

O Palmeiras vencia o perdido Grêmio com tranquilidade em Porto Alegre, no primeiro jogo da final da Copa do Brasil, com gol do gigante Gustavo Gómez. 

Aliás, já no início da etapa final, a cada minuto o segundo tento alviverde ficava mais maduro. 

Mas, em lance de "inteligência rara", Luan, com a bola dominada, acertou uma cotovelada de almanaque no olho de Diego Souza. 

Aí, em campo, a cor vermelha apareceu duas vezes. 

Jorrando do rosto do gremista atingido e também do cartão que saiu do bolso do árbitro Marcelo de Lima Henrique. 

Foi a expulsão mais infantil dos últimos tempos. 

Mas, apesar do estabanado zagueiro Luan, que já tinha enterrado o Palmeiras no Mundial, o time paulista se segurou como pôde na Arena do Grêmio e, milagrosamente, conseguiu levar para São Paulo uma vantagem gigantesca. 

Agora, o Grêmio tem que torcer loucamente para que o Palestra tenha no Allianz um apagão semelhante ao que aconteceu nas semifinais da Libertadores, quando o Alviverde esteve muito perto de ser eliminado da competição continental mesmo após os 3 a 0 da Argentina. 

Mas, do jeito que esse Verdão é "rabudo", é capaz de jogar muito pouco também em São Paulo e, mesmo assim, levar a taça. 

Afinal, o Verdão tem um futebol medíocre e não empolga, é verdade. 

Mas é um absurdo o que tem de sorte a equipe comandada por Abel Ferreira!

Opine! 

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.