PUBLICIDADE
Topo

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido
Seu cadastro foi concluído!
reinaldo-azevedo

Reinaldo Azevedo

mauricio-stycer

Mauricio Stycer

josias-de-souza

Josias de Souza

jamil-chade

Jamil Chade

Milton Neves

Contra o Tigres, o Porco era zebra e pagou grande mico com atuação bovina

Conteúdo exclusivo para assinantes

Milton Neves

08/02/2021 09h30

Não foi por falta de aviso, hein, palmeirenses?

Em todas as minhas tribunas, eu, que dificilmente erro um palpite, deixei muito claro a todos vocês que o faminto time do Tigres devoraria os 11 porquinhos indefesos no Catar.

E não deu outra!

E estava na cara, minha gente, porque o Palmeiras de Abel Ferreira é um campeão lotérico da Libertadores.

Tirou o River na semifinal com belíssimo VAR-amigo.

E, na final, deu sorte porque o Santos teve mais medo de perder do que vontade de ganhar.

Por isso o que era óbvio que o Porco era grande zebra diante do experiente Tigres.

Bom, e já que estamos citando alguns animais, que tal falarmos sobre micos?

Vejo, nesta segunda-feira pós-derrota no Catar, muita gente defendendo que o revés palmeirense no torneio organizado pela Fifa foi "normal".

Que não se pode tratar como vexame uma queda diante de um time tão qualificado quanto o mexicano.

Eu discordo!

Afinal, não dá para explicar uma atuação tão bovina quanto a do time palmeirense neste que era para ser o "jogo da vida" do Alviverde.

Parecia que o time de Abel Ferreira estava disputando a segunda partida do Paulistão contra um Mirassol da vida.

Portanto, não tem como tapar o sol com a peneira.

O Palmeiras foi, realmente, campeão da Libertadores e tem todo o direito do mundo de seguir comemorando este importante título.

Mas pagou, sim, enorme mico no Mundial, assim como o Inter em 2010 e o Galo em 2013.

E muito mais pela atuação ridícula, já que poderia ter sido uns 4 ou 5 a 0 para o Tigres, do que pelo resultado em si.

Concorda?

Opine!

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.