PUBLICIDADE
Topo

Como assim, tem gente que não sabe quem foi Walter Abrahão?

Milton Neves

26/01/2021 10h01

Ontem, o nome do grande Walter Abrahão foi um dos mais comentados em todas as redes sociais do país.

E isso, obviamente, pela grande surpresa que causou o acerto da ainda jovem TV WA, presidida pelo filho do grande narrador, Walter Abrahão Filho, para a transmissão de 56 jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022.

Informação que foi antecipada neste espaço e que você confere clicando AQUI.

Mas sabem o que me deixou mais surpreso do que a compra dos direitos dessas nobres partidas pelo ainda pouco popular canal da TV paga?

O fato de muita gente, principalmente no Twitter, perguntar: "quem foi Walter Abrahão?".

Como assim, pessoal?

Walter Abrahão foi um dos mais marcantes locutores esportivos da história do Brasil, tanto na TV quanto no rádio.

Ele marcou época nas importantíssimas Rádios Tupi e Difusora e, na TV, brilhou narrando pela TV Tupi, TVS / SBT e Manchete.

Além de excelente narrador, Abrahão era também um visionário.

Foi ele quem inventou, em 1963, o replay no esporte, à época chamado de "bi-lance".

O locutor também foi o criador da "escolha do melhor em campo" com premiação, e do sistema de jogo de vôlei sem vantagem, com contagem direta.

Um gênio muito à frente de seu tempo!

Mas o eterno Walter Abrahão teve duas grandes decepções em sua vida profissional.

A primeira foi em 1963, quando o poderoso Pedro Luiz Paoliello exigiu que a Tupi colocasse a sua narração da final entre Santos e Milan tanto na rádio quanto na TV.

Consequentemente, o bimundial do Peixe não teve narração de Abrahão, titular da TV Tupi, o que o deixou extremamente magoado.

A segunda decepção foi quando uma pessoa triste e patrulheira tentou, na marra, tirar a chefia dele do setor de esportes da Tupi.

O sujeito chegou a sentar na cadeira de Walter Abrahão, colocando, em claro sinal de desrespeito, seus dois pés sobre a mesa que pertencia ao genial locutor.

José Goes, Geraldo Bretas, Gerdi Gomes e outros profissionais da Tupi ficaram chocados com a cena.

Mas o usurpador se deu mal quando chegou Eli Coimbra, que o pegou pelos calcanhares, o jogou longe e o expulsou do prédio da tradicional emissora, no bairro do Sumaré.

Assim, defendido por seus amigos, Walter Abrahão seguiu merecidamente com o seu cargo de chefia na Tupi, mas desolado com a constrangedora passagem.

No início dos anos 2.000, tive a honra de receber inúmeras vezes Walter Abrahão no "Golaço", da Rede Mulher, e na "Tribuna do Esporte", da TV Assembleia.

Abrahão, que também foi um grande vereador da cidade de São Paulo-SP, morreu no dia 8 de agosto de 2011, vítima de câncer no pulmão.

E o seu filho, Walter Abrahão Filho, acertou em cheio ao batizar a emissora que ele adquiriu em 2020 com o nobre nome de seu pai.

E, para conhecer ainda mais sobre a épica carreira do narrador que dá nome ao jovem canal que transmitirá 56 jogos das Eliminatória da Copa de 2022, veja as "milhares" de fotos abaixo.

São relíquias garimpadas pelo meu "Que Fim Levou?", o maior portal de memória esportiva do mundo.

E viva Walter Abrahão, um gênio da TV que merecidamente voltou a ser comentado por todo o Brasil!

 

Em 08 de junho de 1958, trabalhando em uma luta de boxe, na sequência, Ávila Machado, Kaled Curi e Walter Abrahão. Crédito da foto: Córner do Leão, o lado humano do boxe.

 

Walter Abraão entrega troféu em evento esportivo. À esquerda, o jornalista João Rehder, seu companheiro na Tupi. Foto: arquivo pessoal de João Rehder

 

Walter Abrahão e João Rehder, dupla da Tupi em 1979. Foto: arquivo pessoal de João Rehder

 

Com o papel em mãos, Walter Abrahão, seguido por Haroldo Chiorino. Entre os dois, ao fundo, está Milton Camargo. À direita, com o microfone na mão esquerda está João Rehder. Foto: arquivo pessoal de Joãh Rehder

 

Entre os noivos e padrinhos estão, da esquerda para a direita: Antonio Euryco, Walter Abrahão, Maria Inês, João Rehder e José Goes. A data é 10 de janeiro de 1987 no Grupo Ginástico Rioclarense

 

Walter Abrahão

 

Na extremidade esquerda, de óculos, está Walter Abrahão. Foto: Arquivo ACEESP

Atrás dos senhores que seguram o troféu, estão Emílio Colella e Walter Abrahão. À esquerda da imagem, de terno cinza, está Otávio Munis, sentado e com a mão no rosto é Álvaro Paes Leme, e, atrás dele, é Flávio Iazetti. Foto: Arquivo ACEESP

Wenceslau Mariani, o Lau, corta o cabelo de Geraldo Bretas durante o Clube dos Artistas, da Tupi. Na imagem, também estão o saudoso Airton Rodrigues, Walter Abrahão e Lolita Rodrigues

À direita da foto, com os braços cruzados, aparecem Flávio Araújo e Walter Abrahão. À direita, com as mão unidas, está o jornalista Alfredo Borba. Sentados, da esquerda para a direita, estão Caetano Carlos Paioli, Emílío Colella, Abreu Sodré, Ary Silva e Flávio Iazetti. Em pé, entrevistando o então governador do estado de São Paulo, aparecem J. Hawilla, o braço de José Goes e Pereirinha. Foto: Arquivo ACEESP

Festa do 34º aniversário em dezembro de 1975. Walter Abrahão, Jorge de Mello, Pedro Luiz (ao fundo e de perfil), amigo, Araken Patuska e Carlos Aymard

Festa do 34º aniversário em dezembro de 1975. José Goes, Walter Abrahão e Braga Júnior

À direita, de baixo para cima estão: Alfredo Orlando (de óculos), José Goes e Ávila Machado. Ao fundo, de terno escuro, está Walter Abrahão. No outro lado da mesa, também de terno vemos Milton Camargo. À direita na foto, com o braço levantado, Marco Antonio e a seu lado esquerdo Darley Basílio. Foto: arquivo pessoal de Benedito Marcantonio

À frente na foto, Sérgio Baklanos está à esquerda, conversando com Haroldo Fernandes. Depois de Baklanos está Antonio Eurico. Marco Antonio é o quarto, de camisa branca e em seguida Darley Basílio. À direita, sorrindo, está José Ribeiro e depois, parcialmente encoberto, Manoel Ramos. Ao fundo, à direita, de terno escuro está Milton Camargo. Na outra ponta, à esquerda, está Walter Abrahão (somente com a testa visível). Na mesa à esquerda, atrás de Marco Antonio quem aparece é Ávila Machado, com grandes costeletas. Foto: arquivo pessoal de Benedito Marcantonio

Confira a vela turma de jornalistas que almoçou no restaurante Praça de São Lourenço, em São Paulo, no dia 17 de fevereiro de 1006. Da esquerda para a direita: Tônia Azevedo, Paulo Planet Buarque, Fiori Giglioti, Walter Abrahão, Mário Marinho, Silvio Natacci, Paulo Roberto Houch e Mauro Naves

Walter Abrahão, à esquerda, e Paulo Machado de Carvalho, à direita, juntos, em 17 de dezembro de 1970

Walter Abrahão (dir), em 1986, na posse de Aroldo Chiorino como presidente da ACEESP.

O grande jornalista ao lado de César Maluco em evento na Federação Paulista de Futebol

Da esquerda para a direita temos Luiz Noriega, Orlando Duarte, Manoel Cristino, Walter Abrahão e o ex-presidente do Corinthians Vicente Matheus. Reparem também que já naquele tempo a propaganda estava inserida no contexto das mesas redondas esportivas

Em 1962, durante a Copa do Chile, Walter Abrahão, Luiz Noriega, Milton Camargo (de boné) e Haroldo Fernandes (de cabelo escovinha) entrevistaram o célebre Di Stéfano, que não disputou o Mundial por causa de uma lesão

TV Tupi em 1971: José Roberto Ramos, Gerdy Gomes, Gerson Araújo, Geraldo Bretas, Walter Abrahão, Leivinha, Walter Lacerda e Garcia Gambeiro, ex-colunista do Popular da Tarde.

Grandes jornalistas que fizeram história na crônica brasileira reunidos com Vicente Feola. Em sentido horário temos Manoel Cristino, Walter Abrahão, Waldemar Marchetti, Antonio Guzman, Edson França, então na "A Gazeta Esportiva", e Vicente Feola

Mazzola e Walter Abrahão, na TV Tupi, em 1963.

Mesa redonda na TV Tupi, em 1966. Da esquerda para a direita vemos Helio Ribeiro, Gerdi Gomes, Mendonça Falcão, Walter Abrahão, Paulo Machado de Carvalho, Antonio Porto, Flávio Iazetti e Lucas Neto

Conta-me Milton Camargo que neste dia 3 de junho de 1962, em Viña Del Mar, nasceu a expressão ´´janela para a imprensa´´ para a literatura esportiva e para o jornalismo em geral. Contundido, Pelé abriu a janela de seu quarto para atender a aflita crônica esportiva, Amarildo era grande incógnita para a seqüência da Copa do Chile e daí a expressão se consagrou para designar os momentos ou períodos em que a imprensa pode entrevistar jogadores, autoridades ou políticos. E observem o prestígio da rádio e TV Tupi, a Rede Globo da época. No topo, à esquerda, Walter Abrahão e, entrevistando o Rei, Milton Camargo. Os dois eram os chefes esportivos das referidas ´´Emissoras Associadas´´.

Peirão, à esquerda, e Walter Abrahão, no centro. Quem é a terceira pessoa à direita?

Geraldo José de Almeida (no cantinho esquerdo),o novinho Walter Abrahão (segurando o gigante microfone com as duas mãos) e Sastre, jogador argentino que foi ídolo no São Paulo FC.

Walter recebe o prêmio Roquette Pinto de Blota Júnior e Sonia Ribeiro

Da esquerda para a direita, nos estúdios da saudosa TV Tupi: Gerdi Gomes, José Goes e Walter Abrahão.

Da esquerda para a direita, confira um inesquecível time da crônica esportiva dos anos 60: o repórter Eli Coimbra, Peirão de Castro, o diretor Pedrinho Grispi, o narrador Walter Abrahão, Flávio Iazetti e os dois Cearás

Da esquerda pra direita, no dia oito de junho de 1958: Ávila Machado, Kaled Cury e Walter Abrahão, das inesquecíveis Rádio e TV Tupi

Milton Camargo, Pedro luiz e Walter Abrahão: faziam parte da inesquecível equipe 1040 da Rádio Tupi

O inventor do Bi-lance, conhecido hoje como replay, acompanha, com fones no pescoço, Aurélio Campos entrevistando a cantora Angela Maria

Walter Abrahão (centro), recebendo o Troféu Imprensa do jornalista Arlindo Silva (esquerda), acompanhado pelo excelente Silvio Santos

Anúncio da TV Walter Abrahão em diversas operadoras em 2020

Em 08 de junho de 1970, um dia após o Brasil vencer a Inglaterra por 1 a 0 na Copa do México, Walter Abrahão entrevista Félix na concentração brasileira. Foto: Reprodução

Logo da TV Walter Abrahão

Milton Neves e Walter Abrahão Neto em 15 de fevereiro de 2020 no Rancho 53 da Castelo Branco

O filho de Walter Abrahão, Walter Abrahão Filho, ao lado de Milton Neves em 15 de fevereiro de 2020 no Rancho 53 da Castelo Branco

Em São Paulo, na Marginal Tietê, homenagem ao jornalista Walter Abrahão, que morreu em 8 de agosto de 2011

Programa Golaço, da Rede Mulher, em 2006. Em pé, da esquerda para a direita: Fábio Sormani, Helô Campanholo, Milton Neves, Marinho Peres, Walter Abrahão, Roberto Petri, Wagner Prado e o Dr. Zé Gonçalves

Nos anos 70 e em 24 de agosto de 2010

João Rehder, à direita, seus convidados e o pessoal da área técnica da TV Assembléia, responsável pela gravação do programa. Da esquerda para a direita: Walter Abraão, Soró, César, André, Milton Neves, Assis, Savóia, Carioca e João Rehder. Foto: Marcos Júnior/Portal TT

Um dos jornalistas esportivos mais tarimbados do Brasil, autor da expressão bi-lance, em 1963, depois chamada de replay, na Copa da Inglaterra, em 1966. Foto: Marcos Júnior/Portal TT

Em 24 de agosto de 2010, minutos antes de entrarem para gravar o SP Esporte da TV Assembléia, Walter Abrahão e Milton Neves relembraram ótimas histórias do futebol. Foto: Marcos Júnior/Portal TT

Walter Abrahão, em 24 de agosto de 2010, convidado para participar do programa SP Esporte. Foto: Marcos Júnior/Portal TT

João Rehder, o segundo da esquerda para a direita, apresentou o programa SP Esporte, tendo Milton Neves, Walter Abrahão e José Eduardo Savóia como convidados. Foto: Marcos Júnior

Com José Eduardo Savóia,, na gravação do programa SP Esporte, da TV Assembléia, em 24 de agosto de 2010. Foto: Marcos Júnior/Portal TT

Walter Abrahão contou para Milton Neves inúmeras histórias do rádio esportivo nacional

Da esquerda para a direita: o jornalista Fábio Sormani, Walter Abrahão e Zé Maria, o "Super Zé"

Walter Abrahão e Nilson César: dois craques nas narrações de futebol

Walter cansou de narrar lindas jogadas de Pelé, Rivellino, Edu, Ademir, Pedro Rocha, Gérson, Jairzinho, entre outros craques da bola

Renata Fan e Walter Abrahão, no "Golaço" da Rede Mulher

Walter Abrahão ao lado do ex-lateral corintiano Zé Maria, o "Super Zé"

Walter Abrahão já foi inúmeras vezes convidado de Milton Neves no programa "Golaço", da rede Mulher de TV

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.