PUBLICIDADE
Topo

Corinthians já deveria começar a mirar uma vaga na Libertadores

Milton Neves

24/10/2020 04h00

Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

O mundo da bola dá voltas e mais voltas.

E quase que na velocidade da luz.

Afinal, na semana passada, o Corinthians já estava virtualmente rebaixado.

Nem mesmo Pep Guardiola poderia dar jeito na bagunça que tinha virado a equipe do Parque São Jorge.

E esse sentimento ficou ainda mais forte após a vexatória derrota em casa para o Flamengo, por 5 a 1.

Já tinha corintiano até pesquisando se o preço do pay-per-view da Série B saía mais em conta que o da Série A.

Mas, com a vitória diante do Vasco, mesmo que na "bamba", muitos alvinegros já deixaram de enxergar o copo meio vazio e concluíram que o copo do Coringão, na verdade, está meio cheio.

Sim, com Mancini o Timão sofreu a maior derrota da história de sua Arena, é verdade.

Mas também é verdade que com o novo treinador o Alvinegro alcançou seis pontos em nove possíveis e, consequentemente, chegou ao 10º lugar na tabela de classificação.

Ou seja, já dá até para respirar aliviado, não é mesmo?

Mas, convenhamos, um time do tamanho e da tradição do Corinthians não pode entrar em um Brasileiro simplesmente para evitar o rebaixamento.

E, como agora as coisas parecem que estão entrando nos eixos, já não é possível sonhar com voos mais altos?

Eu creio que sim.

Com o pé já fora da lama, o Corinthians tem obrigação de pensar grande.

Sonhar com o G-4, realmente, ainda parece um exagero.

Mas não está tão difícil assim buscar uma das "trocentas" vaguinhas na Libertadores, concordam?

Opine!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.