PUBLICIDADE
Topo

O gigante Flamengo está virando refém de Jorge Jesus

Milton Neves

03/06/2020 22h00

Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Ufa!

Enfim, a chatíssima novela envolvendo o Flamengo e Jorge Jesus teve o seu capítulo final nesta semana.

No desfecho dessa história, o clube carioca não chegou a ter um fim trágico, é verdade.

Mas o final feliz mesmo ficou todo para o lado do técnico português.

Não pelo aumento de salário, que saltou de aproximadamente R$ 15 milhões para R$ 23 milhões por ano.

Isso, por tudo que ele ajudou o Fla a conquistar nos últimos tempos, é mais do que merecido.

Mas, por mais que eu não tenha nada com isso, não engoli ainda essas cláusulas que permitem a liberação do treinador mediante ofertas de clubes pré-determinados do futebol europeu.

Bom, se o Flamengo demiti-lo, terá que pagar multa, certo?

Agora, se o português receber ofertas de determinados clubes da Europa poderá deixar o Rubro-Negro… de graça?!?!?!

Ora, nem o Zico teria coragem de propor um cláusula tão absurda quanto essa!

Sim, Jesus foi maravilhoso em 2019, mas será que ele já não esgotou o seu estoque de milagres?

Quem garante que esse timaço rubro-negro não vingaria daqui para frente sob o comando de outro competente técnico?

Vale a pena seguir cedendo a todos os caprichos do português somente pelo bom trabalho que ele fez no segundo semestre de 2019?

O Fla se acovardou e, pelo andar da carruagem, está virando refém do treinador.

E, vamos combinar, se for para seguir na Gávea deixando claro que sua preferência era estar na Europa, que desocupe o nobre cargo de técnico do Flamengo e vá comandar um time médio da Espanha, Itália ou mesmo Portugal.

Opine!

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.

Blog do Milton Neves