PUBLICIDADE
Topo

Não é só na política: o futebol também tem os seus grandes frasistas

Milton Neves

02/06/2020 04h00

O povo anda tão nervoso, mas tão nervoso neste período de pandemia e de eterna crise política no Brasil que até disputas sobre "direitos autorais" de certas frases têm resultado em brigas.

Bom, mas como nosso mundinho do futebol, assim como a pelota, as brigas também andam completamente paradas, tomei a liberdade de relembrar algumas históricas frases de grades "filósofos da bola".

Algumas delas, claro, podem ter sofrido efeitos do famoso "telefone sem fio".

E também podem ter sido atribuídas injustamente a certos personagens.

Mas pelo menos é assim que o povo costuma citar cada uma delas.

E começo com a minha preferida, muito bem pensada pelo italiano Arrigo Sacchi: "O futebol é a coisa mais importante dentre as menos importantes".

Essa é dele mesmo e o eterno treinador italiano acertou na mosca!

Confira abaixo outras "milhares" de frases do nosso mundinho do futebol.

Frases atribuídas ao botafoguense Neném Prancha (1906 – 1076), um dos maiores filósofos do futebol (mas que podem ter sido criadas por João Saldanha ou Sandro Moreyra, que costumavam colocar palavras na boca de Neném):

"Jogador de futebol, tem que ir na bola com a mesma disposição com que vai num prato de comida. Com fome, para estraçalhar"

"Jogue a bola pra cima, pois enquanto ela estiver no alto não há perigo de gol"

"O Didi joga bola como quem chupa laranja, com muito carinho"

"O goleiro deve andar sempre com a bola, mesmo quando vai dormir. Se tiver mulher, dorme abraçado com as duas"

"Pênalti é uma coisa tão importante, que quem devia bater é o presidente do clube"

"Se concentração ganhasse jogo, o time do presidio não perdia uma partida"

"O importante é o principal, o resto é secundário"

"Se macumba resolvesse, o campeonato baiano terminava sempre empatado"

"Quem pede tem preferência, quem se desloca recebe"

"Futebol é muito simples: quem tem a bola ataca; quem não tem defende"

"Jogador bom é que nem sorveteria: tem várias qualidades"

"Bola tem que ser rasteira, porque o couro vem da vaca e a vaca gosta de grama"

Agora vamos rir um pouco com engraçadíssimas frases atribuídas a Vicente Matheus:

"Comigo ou sem migo o Corinthians será campeão"

"Quero agradecer à Antarctica, pelas Brahmas que mandou de graça pelo nosso aniversário"

"Depois da tempestade, vem a ambulância"

"Peço aos corintianos que compareçam às urnas para naufragar nossa chapa"

"Tive uma infantilidade muito difícil"

"Minha gestação foi a melhor que o Corinthians já teve"

"Esse é um resultado que agradou gregos e napolitanos"

"Haja o que hajar, o Corinthians vai ser campeão"

"Jogador tem que ser completo como o pato, que é um bicho aquático e gramático"

"Dirigir um clube de futebol é como uma faca de dois legumes"

"De gole em gole, a galinha enche o papo"

"O Sócrates é inegociável, invendável e imprestável"

"O difícil, vocês sabem, não é fácil"

"Vou dar uma anestesia geral para os sócios com mensalidade atrasada"

"O jogo só acaba quando termina"

Abaixo, mais frases engraçadas atribuídas aos nossos craques (importante ressaltar que, no boca a boca, elas acabaram sendo atribuídas a esses personagens. Algumas delas podem ter sido modificadas com o decorrer do tempo):

"A bola ia indo, indo, indo e… Eu iu!" (Atribuída a Nunes, do Flamengo).

"Não venham com problemática que eu tenho a solucionática" (Atribuída a Elivelton).

"Realmente minha cidade é muito facultativa" (Atribuída a Dunga).

"As pessoas querem que o Brasil vença e ganhe" (Atribuída a Fabão).

"Tenho o maior orgulho de jogar na terra onde Cristo nasceu" (Atribuída a Claudiomiro, quando o mesmo foi jogar em Belém do Pará).

"Clássico é clássico e vice-versa" (Essa por muito tempo foi atribuída a Jardel, mas ele garante que nunca disse isso).

"Quando o jogo está a mil, minha naftalina sobe" (Outra atribuída a Jardel, que novamente nega a autoria).

"O meu clube estava à beira do precipício, mas tomou a decisão correta: deu um passo à frente" (Atribuída ao português João Pinto).

"A moto eu vou vender e o rádio eu vou dar para minha avó" (Atribuída a Biro-Biro).

"Esse Fernando parece que tem dois pulmões" (Essa não foi atribuída, não. É mesmo do Craque Neto, que antigamente costumava dar umas escorregadas como essa. Mas hoje ele é craque também com o microfone).

E aí, amigo internauta, qual a sua preferida?

E você se lembra de outras?

Deixe nos comentários.

Opine!

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.

Blog do Milton Neves