PUBLICIDADE
Topo

Senna ganharia quantos títulos mais na F1 se não fosse a tragédia de Imola?

Milton Neves

01/05/2020 04h00

A imagem que gostaríamos de ver, contida neste desenho: Ayrton Senna levantando-se de sua Williams após o acidente na Tamburello

GP de San Marino de Fórmula em Imola, 1º de maio de 1994.

Ayrton Senna perdeu oficialmente sua vida algumas horas depois de sua Williams-Renault chocar-se violentamente contra o muro da curva Tamburello.

Uma barra da suspensão dianteira direita perfurou o capacete do piloto brasileiro de 34 anos, provocando danos cerebrais irreversíveis.

Um tremendo azar, diga-se.

Não fosse por isso, apesar da pancada muito forte, é bem possível que Senna deixasse seu carro sem maiores problemas (suas pernas e braços não tinham fraturas), e duas semanas depois estivesse no grid do GP de Mônaco para provavelmente vencer pela sétima vez nas ruas do Principado.

Também podemos imaginar que o acidente nem tivesse acontecido, e ele poderia ganhar aquela corrida…

Bom, infelizmente, o "se" não existe…

Mas, não custa tentar imaginar quantos títulos Ayrton Senna ainda poderia vencer na Fórmula 1, além dos três que havia conquistado pela McLaren-Honda (1988, 1990 e 1991).

EM 1994 SENNA PODERIA TER SIDO CAMPEÃO!

Mesmo sem pontuar nos três primeiros GPs de 1994, e com a Benetton de Michael Schumacher começando muito bem a temporada, havia grande chance de Ayrton se recuperar e vencer aquele campeonato.

Basta observar que seu companheiro de equipe, o britânico Damon Hill, fechou o ano como vice-campeão, um ponto atrás de Schumacher, lembrando que Senna era infinitamente superior a Hill…

EM 1995, DISPUTA DIFÍCIL COM SCHUMACHER E O ALEMÃO PODERIA TERMINAR NA FRENTE

Imaginando que Senna continuasse na Williams em 1995, a disputa com Schumacher seria bem mais complicada.

No comparativo, Schumacher terminou a temporada como campeão e Hill como vice, 102 a 69 pontos.

Importante lembrar que se a Benetton já era forte em 1994 com o motor Ford Zetec V8, ficou ainda mais poderosa em 1995, com o propulsor V10 da Renault, igual ao da Williams e contando com um chassi bem mais equilibrado.

A Benetton "nadou de braçadas" sobre a Williams.

É possível, bem possível, que Schumacher conseguisse superar Senna e ganhar seu primeiro mundial e o brasileiro fechasse o ano como vice-campeão.

EM 1996, MOLEZA PARA SENNA…

Supondo-se que Senna permanecesse na Williams em 1996, seria uma temporada tranquila para o brasileiro.

Em 1996 o campeão foi Damon Hill, pela Williams, e Schumacher estava na Ferrari, em um carro bem inferior ao concorrente direto.

Tanto é verdade, que o vice-campeão foi o estreante Jacques Villeneuve, então companheiro de Hill na Williams.

Schumacher terminou a temporada de 1996 em terceiro lugar.

EM 1997, MAIS UM TÍTULO PARA SENNA…

Ainda imaginando que Ayrton Senna estivesse defendendo o time de Frank Williams em 1997, seria mais um ano de favoritismo para o brasileiro.

Naquele ano o campeão foi o canadense Jacques Villeneuve, justamente com a Williams, três pontos à frente de Schumacher, com a Ferrari.

RESUMO DA ÓPERA…

Assim, com mais três títulos (1994, 1996 e 1997), Ayrton Senna realizaria seu sonho, que era o de superar o ídolo argentino Juan Manuel Fangio (pentacampeão), e poderia encerrar sua carreira como hexacampeão da Fórmula 1, aos 37 anos, uma idade condizente para aposentadoria nos padrões da F1 dos anos 90.

Com a Ferrari evoluindo pelas mãos de Schumacher, talvez o time italiano não quisesse confrontar o alemão com o brasileiro, e o outro sonho de Ayrton, correr pelo time de Maranello, não se realizasse. Mas esse é outro assunto.

Ayrton Senna, por esta breve análise, poderia ter chegado a seis títulos mundiais na Fórmula 1.

O que você, amigo (a) internauta, pensa sobre isso?

Senna poderia ter sido campeão pela F1 por quantas vezes mais?

Chegaria a seis títulos?

Michael Schumacher seria um adversário tão difícil como foi Alain Prost ou ainda mais?

OPINE!

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.

Blog do Milton Neves