PUBLICIDADE
Topo

O gol que o ataque todo do Santos marcou para salvar a pele de Edson Leite

Milton Neves

30/04/2020 12h26

 

Veja no vídeo acima ou acompanhe no texto abaixo uma das mais divertidas histórias envolvendo a crônica esportiva

Edson Leite (1926-1983), célebre narrador esportivo, foi magistral no microfone.

No rádio, parou o Brasil na Copa de 58 com seu célebre "placaaaaaaarrrr na Suéciaaaaaa", que que adoro reprisar em meus programas de rádio.

Mas Edson Leite marcou também por suas paixões pelos cavalos de corrida, carros importados e pelas mulheres.

Milionário, casado e pai de oito filhos, teve dezenas de amantes.

E naquele Noroeste x Santos em 1962 em Bauru, sua terra, ele narrava o jogo ao lado do comentarista Mário Moraes, do operador Moacyr Bombig e da amante nº 11, Zoraide.

Jogo pegado, tenso, Edson Leite no microfone e eis que aparece, 20 lances abaixo da arquibancada, sua esposa, a oficial.

Ele se escondeu debaixo da bancada e passou a narrar sem nada ver.

Até que saiu um gol do Santos, que estava no ataque quando ele se abaixou.

Edson mandou ver: "Gol monumental do Santos de… Dooorrrval… [Moacyr Bombig faz sinal de 'não'], Mengálvioooo… ['não'], Coutinhooo… ['não'], Peléééé… ['não'], Pepeeeee ['sim', sinalizou Moacyr Bombig].

Aí, Edson Leite emplacou: "Sensacional gol de Pepe em Bauru… com a participação de todo o ataque do Santos".

E ainda deu tempo para o operador Moacyr Bombig sumir com a linda Zoraide, a amante substituída na cabine.

Além das mulheres, Édson Leite era também apaixonado pelos cavalos…

… e pelos carrões

Edson Leite e Pedro Luiz Paoliello comandam a equipe esportiva mais ouvida do Brasil no final da década de 50. Foto: Reprodução da revista Manchete Esportiva

Ah, mas que foto linda! Ela é do primeiro trimestre de 1962 e, segundo Celso Grellet, assessor de Pelé, são-paulino e velho amigo de Clóvis José de Azevedo (o quarto da foto), retrata a primeira mesa redonda da TV. Em 1962 eu tinha 11 anos e como em minha casa, em Minas, nunca teve aparelho de televisão, não tenho como precisar, mas, digamos, que esse grupo abaixo realizou uma das primeiras discussões de futebol reunindo um grupo de jornalistas esportivos. E por que "Mesa Redonda"? Quem inventou essa denominação? Vejam o tamanhinho da mesinha que a direção artística da TV Paulista, Canal 5 de São Paulo, colocou no ar para abrigar as feras Pedro Luiz Paoliello (estudante, morou oito anos em Muzambinho-MG entre os anos 30 e 40), Paulo Planet Buarque, Edson Leite (placaaaaaaar…na Suéééciaaaaaa…), Clóvis José de Azevedo, Leônidas da Silva e Vicente Feola. Adoentado, Feola, técnico campeão do mundo de 58, deu o lugar a Aimoré Moreira no Mundial do Chile, meses depois. Feola voltaria em 1966, infelizmente. É que o fiasco no Mundial da Inglaterra foi imenso." Pedro Luiz Paoliello, Paulo Planet Buarque, Edson Leite, Clóvis de Azevedo, Leônidas da Silva e Vicente Feola

Transmissão da Copa do Mundo de 1958, em frente à redação e oficinas do jornal Ultima Hora, o povo ouvia a Rádio Bandeirantes que tinha o apoio do jornal. O placar colocado na fachada do prédio marcava Brasil 2 x 1 Suécia. Édson Leite acabara de narrar o segundo gol, o povo vibrava e o menino estava colocando o numero dois, no placar Rádio Bandeirantes

Diferentemente do que disse no vídeo, me encontrei, sim, outras vezes com o querido filho de Édson Leite. Claudio Mattoso Leite esteve na noite de autógrafos de meu livro em 11 de novembro de 2013, no Shopping Frei Caneca. Foto: Marcos Júnior/Portal TT

Opine!

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.

Blog do Milton Neves