PUBLICIDADE
Topo

Abril nos levou Índio, que com Didi garantiu o Brasil na Copa de 58!

Milton Neves

28/04/2020 04h00

Quando falamos sobre a primeira conquista mundial da seleção brasileira, em 1958, muita gente se lembra, claro, de Pelé, de Garrincha, de Didi, de Gylmar, de Bellini, de Nílton Santos, de Zagallo, de Feola, de Zito, entre tantos outros heróis da época.

Mas sabem que na maioria dessas listas de heróis do Mundial da Suécia geralmente falta um importantíssimo nome?

Sim, falta o nome do paraibano Aloísio Francisco da Luz, o Índio, que marcou época no Flamengo (é o 10º maior artilheiro do clube da Gávea) e no Corinthians.

Bom, e você deve estar se perguntando como o centroavante Índio pode ser um dos heróis do título de 1958 se ele nem foi convocado para o Mundial, certo?

Mas saibam que, não fosse por ele, o Brasil nem teria embarcado para a Suécia.

É que, em 13 de abril de 1957, sob enorme desconfiança, o escrete canarinho foi até Lima para o primeiro jogo contra o Peru em "eliminatória simples" para a Copa de 1958 (a Venezuela, que também estava no grupo 1 da Conmebol, desistiu de participar).

E o jogo na casa do adversário foi dificílimo, com o Peru saindo na frente com gol de Terry.

Minutos mais tarde, com o Brasil sufocado pela seleção local e pelo barulho vindo das arquibancadas do Estádio Nacional, Índio, com toda sua frieza de genial centroavante, empatou e recolocou o Brasil no jogo – e na Copa do ano seguinte.

No duelo de volta, no Maracanã, Didi pôs em prática a sua ainda desconhecida "folha seca", o Brasil venceu por 1 a 0 e ficou com a vaga para o Mundial de 1958.

Mas, não fosse o gol de Índio, lá no Peru, a vaga seria decidida nas penalidades no Rio de Janeiro.

É, só que no ano seguinte, na lista final para a Copa, mesmo com esse importantíssimo gol, Índio ficou de fora da Copa.

Feola preferiu nomes como Mazzola, Dida, Vavá e "um certo" Pelé…

Mesmo assim, sempre que se lembrar do primeiro título mundial do Brasil, além de Pelé, Garrincha, Didi, entre outros, lembre-se também do grande herói Índio.

Ele que lamentavelmente morreu aos 89 anos no último dia 19, exatamente no Dia do… Índio!

Abaixo, você confere emocionantes fotos de sua carreira:

Seleção Brasileira em jogo válido pelas Eliminatórias da Copa de 1958 no Maracanã. Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Bellini, Zózimo, Nilton Santos, Gylmar e Roberto Belangero. Agachados, da esquerda para a direita: Garrincha, Evaristo de Macedo, Índio, Didi, Joel e Mário Américo (massagista)

O Corinthians enfrentou o Barcelona no Camp Nou, em Barcelona, derrotando o Barcelona por 5 a 3, em jogo válido pelo Torneio Costa do Sol, em 24 de junho de 1959, uma quarta-feira. Evaristo abriu o placar para a equipe espanhola e Luizinho empatou. Czibor recolocou o Barça em vantagem, mas depois o Corinthians reagiu e marcou com Bataglia, Índio e Tite (duas vezes). Da esquerda para a direita: Olavo, Oreco, Goiano, Valmir, Gylmar e Roberto Belangero. Agachados: Bataglia, Rafael Chiarella, Índio, Luizinho e Tite. Foto: arquivo pessoal de Valmir, identificada por Waldemar Micheletti. Informações sobre a partida: Almanaque do Timão, de Celso Unzelte

Da esquerda para a direita, em pé: Índio, Didi, Humberto Tozzi, Maurinho, Djalma Santos, Brandãozinho, Nilton Santos, Pinheiro, Julinho Botelho, Castilho e Bauer

Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Bellini, Zózimo, Nilton Santos, Gylmar e Roberto Belangero. Agachados: Garrincha, Evaristo, Índio, Didi, Joel e Mário Américo

Em pé, da esquerda para a direita: Oreco, Alfredo Ramos, Walmir, Olavo, Idário e Gylmar. Agachados: Cláudio, Luizinho, Rafael, Índio e Boquita

Em pé, da esquerda para a direita: Rubens, Zózimo, Nilton Santos, Castilho, Pinheiro e Bauer. Agachados: Sabará, Zizinho, Índio, Didi e Pinga. O "FMF" que aparece nas camisas significa "Federação Metropolitana de Futebol", que antecedeu a Federação Carioca. A foto nos foi enviada pelo querido José Eustáquio Rodrigues Alves, de Patos de Minas-MG

Em pé: De Sordi, Dino Sani, Riberto, Gylmar, Vitor e Mauro. Agachados: Mário Américo (massagista), Dorval, Jair, Índio, Pelé e Chinezinho

Em pé estão Vavá e Didi. Os agachados são: Joel, Índio e Pinga. O "FMF" que aparece nas camisas significa "Federação Metropolitana de Futebol", que antecedeu a Federação Carioca

A qualidade da foto não é das melhores, mas vale, é claro, pelo registro. Em pé, da esquerda para a direita: o goleiro Ari, Pavão, Milton Copolillo, Dequinha, Tomires e Jordan. Agachados: Joel, Paulinho, Indio, Evaristo e Zagallo

A Seleção Carioca, com a camisa da FMF (Federação Metropolitana de Futebol, antigo nome da Federação Carioca de Futebol). Da esquerda para a direita estão Édson, Índio, Dequinha e Altair

Na seleção: os grandes amigos Índio e Nilton Santos

A camisa, com a inscrição FMF significava "Federação Metropolitana de Futebol", antigo nome da Federação Carioca de Futebol. Em pé: Paulinho de Almeida, Castilho, Nilton Santos, Dequinha, Zózimo, Édson Machado. Agachados: Joel Martins, Vavá (uma foto rara do Peito de Aço com bigode), Didi, Índio e Pinga

Em pé, da esquerda para a direita: Biguá, Cláudio, Pavão, Bria, Dequinha e Bigode. Agachados: Nestor, Rubens, Indio, Hermes e Esquerdinha

Da esquerda para a direita, o terceiro (entre um auxiliar e um jogador do Flamengo) é Zizinho. O quinto é Caetano Bovino, seguido por Esquerdinha, Dequinha e Índio. Foto enviada por Ricardo Bovino Stecconi Silva

Índio veio do Flamengo e se firmou como grande jogador no Corinthians

Time do Flamengo da década de 50. Em pé: Garcia, Pavão, um zagueiro não identificado, Jadir, Dequinha e outro defensor rubro-negro não identificado. Agachados: Joel, Rubens, Adãozinho, Índio e Zagallo

Índio, em fevereiro de 2008, em matéria produzida pelo canal SporTV

Em pé: Oreco, Gylmar, Olavo, Cássio, Goiano e Roberto Belangero. Agachados: Zezé, Índio, Rafael, Zague e Boquita

Em pé: Chamorro, Servílio, Pavão, Tomires, Dequinha e Jordan. Agachados: Joel, Paulinho, Indio, Evaristo e Zagallo

Em 1954, Rio de Janeiro: Indio, Zózimo, Joel, Garrincha, Evaristo e Bellini, ligadíssimos no carioca Jornal dos Sports

O jornalista Roberto Petri entrevista Índio, à época no Flamengo, em 1957, antes de uma partida no Pacaembu, em São Paulo

Ataque do Flamengo em 1953, Joel, Rubens, Indio, Benitez e Esquerdinha

Indio, do Flamengo, e Castilho, do Fluminense, na capa da revista Manchete Esportiva, 56, de 1956

Índio na capa da revista Manchete Esportiva, 50, de 1956

Ataque do Flamengo em 1951, Nestor, Hermes, Adãozinho, Índio e Esquerdinha, foto da Revista Esporte Ilustrado

Índio e Silvio Pirillo na revista Manchete Esportiva em fevereiro de 1957. Imagem: reprodução da revista Manchete Esportiva

Índio na Capa da revista Manchete Esportiva em fevereiro de 1957. Imagem: reprodução da revista Manchete Esportiva

São Paulo x Corinthians, em 1958. Da esquerda para a direita, jogador são-paulino não identificado, Índio (fazendo o arremate), De Sordi (com o braço levantado) e o goleiro Poy, que tenta fazer a defesa. Foto: Reprodução da revista Manchete Esportiva

Índio na revista Manchete Esportiva, em 1957

Flamengo, campeão carioca de 1953. Da esquerda para a direita, em pé: Garcia, Servílio, Pavão, Marinho, Dequinha e Jordan. Agachados: Joel, Rubens, Índio, Benitez e Esquerdinha. Foto enviada por José Eustáquio

Corinthians no Pacaembu, em 1958. Em pé, da esquerda para a direita: Alfredo Ramos, Oreco, Idário, Olavo, Valmir e Gylmar. Agachados: Cláudio, Luizinho, Indio, Rafael e Zague

Da direita para a esquerda: Gylmar, Zague, Benedito, Rafael, Olavo, Idário, Indio, Valmir, Oreco, Luizinho e Cláudio. Foto enviada por José Eustáquio

CLIQUE AQUI E CONHEÇA A CARREIRA DE ÍNDIO NA SEÇÃO "QUE FIM LEVOU?"

Opine!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.