PUBLICIDADE
Topo

Piquet foi um piloto mais completo que Senna!

Milton Neves

25/04/2020 04h00

Raro momento de descontração entre Piquet e Senna. Foto: Divulgação

Todos sabem que eu detesto polêmicas…

Porém, resolvi tocar em um assunto "pouco" espinhoso…

Piquet x Senna

Tenho, para comigo, que Nelson Piquet foi um piloto mais completo que Ayrton Senna (1960-1994).

E explico.

Ambos foram tricampeões mundiais de Fórmula 1, mas com grandes diferenças.

Enquanto Piquet ganhou  seus títulos com três motores diferentes e por duas equipes (Brabham-Ford em 1981, Brabham-BMW em 1983 e Williams-Honda em 1987), Senna triunfou em seus mundiais sempre com o conjunto McLaren-Honda, em 1988, 1990 e 1991.

É mais ou menos como um treinador de futebol que é tricampeão comandando três times diferentes e outro que conquista três títulos com o mesmo time…

Nelson Piquet, tricampeão com três motores diferentes: Ford e BMW na Brabham e Honda na Williams. Fotos: Divulgação

Isso não tira o mérito de Senna, óbvio, mas a McLaren era infinitamente superior aos concorrentes nos três anos em que o saudoso piloto ganhou seus campeonatos.

Piquet só teve um carro claramente melhor que a concorrência no título de 1987, a Williams-Honda.

Em 1981, a Brabham foi vice-campeã de construtores (atrás da Williams), e terceira colocada em 1983, atrás da Ferrari e da Renault…

Nos três títulos mundiais de Senna, sua McLaren-Honda foi sempre a campeã entre os construtores…

Ayrton Senna, três vezes campeão da F1, sempre com o conjunto McLaren-Honda. Fotos: Divulgação

Isso desmistifica uma história, que vez por outra costumo ouvir, de que Senna ganhava até com carros ruins…

Não é verdade, absolutamente!

Claro, não estou aqui para dizer que Senna não foi sensacional, incrível nas poles e reinando nas corridas disputadas sob chuva, a exemplo do que aconteceu em 1984 no GP de Mônaco com a Toleman-Hart (segundo colocado) e nos triunfos de Donington Park (GP da Europa de 1993) e do Brasil, também de 1993, em Interlagos, ambos com McLaren-Ford.

Mas, quando dou uma olhada no retrospecto de Piquet, um exímio acertador de carros e de motores, que passou o ano inteiro de 1982 desenvolvendo o motor turbo da BMW para ser campeão em 1983, tenho a clara noção de como ele era completo, mais do que Senna.

Senna era mais veloz que Piquet?

É possível que sim!

Mas ele não tinha paciência para desenvolver um carro como o velho Nelsão…

A ponto de querer correr pela Williams-Renault mesmo para ganhar menos dinheiro do que ganhava na McLaren…

Para ter o melhor carro do grid, que ele dizia ser de outro planeta…

Porém, em 1994, o carro do time de Frank Williams não nasceu tão bom, sem todos os recursos eletrônicos da temporada anterior, que levaram Alain Prost ao seu quarto título na F1.

Senna em janeiro de 1994, no Estoril (Portugal), na apresentação da FW16, carro da Williams-Renault naquela temporada. Foto: Divulgação

Ah, e antes que alguém diga que "tiraram a eletrônica para prejudicar Senna", lembro que a mudança no regulamento aconteceu na metade da temporada de 1993, quando ele sequer era aventado como piloto da Williams.

E tem mais duas coisas importantes, que demonstram o quanto Piquet era um piloto completo. Ainda na F3 Britânica (em 1978), inventou o sistema para aquecer os pneus, depois implementados na F1 e outras categorias, e também o reabastecimento, este na F1, pela Brabham, em 1982.

Assim, para encerrar, estou convencido que Nelson Piquet, por estes exemplos, era mais completo que Ayrton Senna.

Ambos tricampeões mundiais de Fórmula 1.

Mas de maneiras muito distintas…

Piquet foi mais campeão "pelo braço" e Senna "pelo carro".

Tem mais um detalhe importante: Piquet nunca perdeu um título mundial para um companheiro de equipe. Mesmo em 1986, que ele ficou atrás (um ponto) de Mansell, quem ganhou o campeonato foi o Prost. Senna perdeu o campeonato para Alain Prost em 1989, com quem dividia os boxes da McLaren.

Talvez vocês estejam estranhando tantos detalhes e conhecimento meu sobre automobilismo, pois só falo sobre futebol. É que fiz um curso de "madureza" com meu amigo Flavio Gomes, "bolsonarista de carteirinha"…kkkkkk.

E, apenas para ilustrar, um embate entre ambos no GP da Hungria de 1986, em Hungaroring, ocasião em que Nelson Piquet ultrapassou Ayrton Senna por fora, de lado, manobra reconhecida entre os especialistas como uma das mais brilhantes da história da F1, que você pode conferir abaixo.

OPINE!

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.

Blog do Milton Neves