PUBLICIDADE
Topo

Qual desses “roubos” merece o Troféu Apito Amigo?

Milton Neves

08/04/2020 04h00

Meus amigos, se existisse mesmo o "Troféu Apito Amigo", ele seria mais disputado que a taça do Campeonato Brasileiro, não é mesmo?

Claro que teríamos os favoritos.

Não vou citar os nomes, mas certos times alvinegros e rubro-negros sairiam na frente.

Bom, mas agora veja a lista de grandes "roubos" que separei abaixo.

Na maioria, são casos nacionais, mas acrescentei também alguns episódios que se passaram fora do Brasil.

Aí, nos comentários, quero saber a sua opinião: qual o maior "roubo" da história da bola?

Vasco 2 x 1 Cruzeiro (1974)

O primeiro título brasileiro do Vasco foi para lá de polêmico. Primeiramente, a partida deveria ter sido no Mineirão. E, francamente, foi uma das piores atuações do grande Armando Marques, que até hoje ninguém sabe o que viu de irregular no gol marcado por Zé Carlos…

Flamengo 3 x 2 Atlético (1980)

José Assis Aragão, árbitro competentíssimo, mostrou cartão vermelho a Reinaldo por ter reclamando de um impedimento, que realmente não aconteceu. Quando da expulsão, o jogo estava empatado em 2 a 2, resultado que daria o título ao Galo. No entanto, com a expulsão do craque do time, o Fla cresceu e conseguiu marcar mais um gol, que garantiu a vitória e o título para o clube carioca.

Flamengo 0 x 0 Atlético (1981)

Dizem que até hoje, quando José Roberto Wright encontra alguém com a camisa do Galo, ele mostra o cartão vermelho. Esse dia foi realmente revoltante!

Santos 1 x 1 Botafogo (1995)

Na decisão do Brasileirão de 1995, entre Santos e Botafogo, no Pacaembu, Márcio Rezende foi o protagonista de um festival de lambanças… Ele validou um gol de Túlio para o time carioca em impedimento, outro para o Peixe em lance em que Capixaba ajeitou a bola com a mão e, por fim, anulou gol legítimo de Camanducaia que poderia dar a taça ao time paulista, alegando impedimento. O santista, porém, estava em posição legal.

Corinthians 2 x 2 Portuguesa (1998)

O árbitro argentino Javier Castrilli deveria constar na lista de maiores ídolos da história do Timão. Afinal de contas, ele foi implacável naquela semifinal do Paulistão de 1998, entre Corinthians e Portuguesa. O pior é que até hoje ele jura de pés juntos que foi pênalti…

Corinthians 1 x 1 Internacional (2005)

No Pacaembu, pelo Brasileirão de 2005, Tinga foi claramente derrubado pelo goleiro Fábio Costa, no confronto entre alvinegros e colorados. Além de não marcar a clara infração, Márcio Rezende ainda expulsou Tinga… Uma vergonha!

Santos 3 x 2 Portuguesa (1964)

No jogo em que o Santos garantiu mais um título paulista, Ismael, quando o placar ainda apontava 0 a 0, cometeu pênalti claríssimo em Ivair. Coitadinha da Portuguesa…

(O vídeo acima não mostra a penalidade, mas é interessantíssimo!)

Fluminense 2 x 1 Bangu (1985)

No ano de 1985, o Bangu bateu na trave no Carioca e no Brasileiro. Bom, mas no Estadual merecia melhor sorte. Afinal, Vica fez, no último minuto da partida decisiva, pênalti claro em Cláudio Adão. José Roberto Wright deixou por isso mesmo, para a tristeza de Castor de Andrade.

Inglaterra 4 x 2 Alemanha (1966)

Esse foi o maior roubo da história das Copas. Mais vergonhoso que a mão de Maradona em 1986. Afinal, a bola do inglês Hurst quicou uns "10 metros" fora do gol alemão. Simplesmente ridículo! Aí, a Alemanha desanimou e acabou levando também o quarto tento inglês.

Argentina 6 x o Peru (1978)

Bom, nesse caso não foi roubo. Mas sim falha de caráter…

Gente, e eu podia acrescentar aqui mais uns "cinco mil" jogos do Flamengo e do Corinthians (risos).

Mas aí a lista ficaria muito, mas muito grande.

Então quero que vocês também relembrem alguns casos nos comentários!

Vamos lá!

Opine!

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.

Blog do Milton Neves