PUBLICIDADE
Topo

Neymar, tão provocado, não tem o direito de provocar também?

Milton Neves

15/03/2020 04h00

Claro, gente, com todo o mundo preocupado com o maldito Coronavírus, o futebol acabou ficando em segundo plano na última semana.

E não poderia ser diferente.

Mas tivemos, claro, fatos relevantes também no esporte bretão nos últimos dias.

E, para mim, no exterior, mais relevante do que a queda do Liverpool, atual campeão da Liga dos Campeões, foi a volta por cima de Neymar no duelo entre PSG e Borussia Dortmund.

Pessoal, o jogo era enroscado, contra um time chato, sem apoio da torcida e com o "desespero" de ter que reverter o placar conquistado pelos alemães em seus domínios.

E o agora "adulto Neymar" não se acanhou e fez o que realmente esperamos sempre dele.

Mas é evidente que sempre arrumam um motivo para pegar no pé do camisa 10 da seleção.

Só que exageraram demais!

Ouvi muito por aí "nossa, Neymar, com 28 anos nas costas, vai comemorar seu gol provocando o jovem Haaland, de apenas 19?".

Ora, gente, apontem no futebol atual um jogador no mundo mais provocado que Neymar.

Ele realmente é muito chato e acaba gerando antipatia em seus rivais, que adoram "tirar uma casquinha" dele.

Mas aí, quando ele vence, não tem o direito de ir à forra?

Ah, tenham dó…

Quando Neymar merece críticas, tudo certo, eu mesmo sou o primeiro a criticar.

Mas por qualquer coisa acaba ficando clara a perseguição.

Opine!

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.

Blog do Milton Neves