PUBLICIDADE
Topo

Homenagem a um desconhecido gênio da bola!

Milton Neves

07/02/2020 16h27

CLIQUE AQUI E CONHEÇA A CARREIRA DE COROTE NA SEÇÃO "QUE FIM LEVOU?"

Sim, vocês não o conheceram, não o viram jogar, nem leram sobre ele, mas inicialmente invoco o testemunho de José Douglas Dallora, ex-presidente do São Paulo Futebol Clube, natural de Guaxupé-MG, dentista formado em Alfenas-MG.

"Eu vi o Corote jogar umas 100 partidas contra times do interior de Minas, de São João da Boa Vista-SP e de São José do Rio Pardo-SP, nos clássicos de minha Esportiva de Guaxupé-MG versus Bandeirante EC de Muzambinho-MG e, principalmente, como 'enxerto' das seleções de Varginha-MG, de Poços de Caldas-MG, de Alfenas-MG, de Machado-MG e de Três Corações-MG, enfrentando o Botafogo, o Vasco da Gama, o Flamengo e o Olaria. É que nos anos 1950 e 1960 os times do Rio faziam pré-temporada em Poços de Caldas-MG com a prefeitura bancando tudo, mas eles tinham que fazer amistosos-exibição em cidades da região com a renda revertida ao poder público de Poços. E o Corote só não fez gol no Olaria, mesmo que os cariocas tenham vencido todos os jogos, e por goleada. E não falo aqui na Jovem Pan para te agradar, não, Milton Neves. Falo, como presidente do São Paulo Futebol Clube, que Corote foi o jogador mais espetacular que vi depois do Pelé".

José Douglas Dallora e Marco Aurélio Cunha, em 2013

Sacaram o testemunho, anos atrás, do então presidente tricolor?

Pois o craque Corote, o Adolfo Vieira, ídolo do Sul de Minas e da parte final do leste de São Paulo, morreu quarta-feira (5), aos 95 anos, poucas horas depois do falecimento de Kirk Douglas, nome mundial.

Digo, de forma surreal ou exagerada, que o querido Corote teve "reconhecimento", fora lá de nosso mundinho, no dia de sua morte, pela coincidência do falecimento também do interplanetário Kirk Douglas no mesmo dia.

É que, nesta loucura que virou a internet, o povo de minha terra e de cidades próximas, seus filhos e netos e os milhares de técnicos agrícolas do Brasil afora, formados na Escola Agrotécnica de Muzambinho-MG, viralizaram, como seus familiares, um banner (veja acima) com as fotos de Valfrido, do Vasco, de Kirk Douglas e de… Corote, mortos no mesmo dia.

Todos foram alunos de Adolfo "Corote" Vieira na Escola Agrícola de Muzambinho-MG, inaugurada em 1953 por Getúlio Vargas.

1953: Getúlio Vargas, de chapéu, na inauguração da Escola Agrícola de Muzambinho-MG

E isso foi só um pouquinho de fama tardia para um homem discreto, correto e que jogou bola até os 55 anos, sendo que após os 40 jogava com duas "coxeiras" e uma joelheira.

Mas sempre lançando como ninguém e batendo faltas em chutes tipo "torpedo", ou seja, bola reta e à meia-altura contra a meta adversária.

Ao fazer dois gols no Vasco em Alfenas-MG, o lendário técnico cruzmaltino Martim Francisco foi a Muzambinho-MG convencer a mãe de Corote, "Dona Virgínia da Venda", a deixar o então jovem filho jogar em São Januário.

Corote, jovenzinho, ao centro. À direita, veja Pedro Cartucheira

Mas a austera portuguesa legítima não arredou o pé: "O Rio é perigoso, as mulheres andam nuas nas praias e meu filho está bem colocado na Escola Agrotécnica".

Pronto, o Brasil não conheceu o sexto melhor da história de Minas Gerais, só perdendo para Pelé, Tostão, Reinaldo, Dirceu Lopes e Palhinha.

Deus concorda.

CLIQUE AQUI E CONHEÇA A CARREIRA DE COROTE NA SEÇÃO "QUE FIM LEVOU?"

Opine!

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.

Blog do Milton Neves