PUBLICIDADE
Topo

O dia em que Telê quase me matou!

Milton Neves

12/01/2020 04h00

Ilustração: @marcelomunster

CLIQUE AQUI E CONHEÇA A HISTÓRIA DE TELÊ SANTANA NA SEÇÃO "QUE FIM LEVOU?" 

Em 1992, na sala da assessoria de imprensa do Detran, recebi ligação do saudoso empresário Julinho Bordon, então meu patrocinador pelo Grupo Bordon das transmissões de futsal da TV Jovem Pan e da F-1 pela rádio Jovem Pan.

Ele me convidava para seu jantar de aniversário no restaurante Esplanada Grill, nos Jardins, do qual era um dos sócios.

Saí do Ibirapuera, apanhei o locutor e amigão Antonio Freitas na Paulista e fomos lá para o evento na rua Haddock Lobo.

Restaurante lotado, a festa comia solta e nós dois fomos acomodados na mesa principal ao lado do aniversariante, de Osmar Santos, que estava acompanhado de Rosamaria, sua esposa, de Fernando Casal de Rey, do então presidente do São Paulo, José Eduardo Mesquita Pimenta, do diretor Kalef João Francisco Neto, de Carlos Alberto Torres e de Telê Santana.

Telê estava de olhos vermelhos depois de umas caipirinhas, soube mais tarde.

Mal me sentei à mesa, bem defronte ao Telê, e imediatamente o saudoso treinador se levantou, dobrou o corpo, debruçou na mesa e com uma faca na mão direita perto de meu rosto passou a gritar:

"Fala agora que eu coloco o Elivélton na reserva só porque ele é titular na seleção e que estou provocando o Parreira por ciúmes! Falar lá na rádio é fácil, quero ver é falar aqui".

E "zunia" e "chuchava" no ar a faca texana de ponta reta e não pontuda entre meu peito e rosto.

E eu me afastando.

Foram os 10 ou 15 segundos mais longos de minha vida, mas deu tempo para o ágil e assustado Casal de Rey puxar Telê pela cintura e "me salvar".

Deixei a mesa com Antonio Freitas e fomos para o reservado, nos fundos do restaurante.

Foi quando chegou o agitado Julinho Bordon: "Pô, Milton, você quer acabar com minha festa?".

"Eu não, o Telê sim é que quis acabar com minha vida".

Mas isso tudo passou e Telê continuou marcando presença em meus diversos programas, na TV e no rádio, como você confere nas fotos abaixo:

O produtor Waldyr Bonnas ( morreu em Uberlândia no ano de 2004 ), Milton Neves, Mário Quaranta Filho e Telê Santana nos estúdios do SuperTécnico da Band

Bastidores do SuperTécnico da Band. Telê Santana, sentado, observa atento as fotos antigas que estavam sendo mostradas a ele por Milton Neves e Mario Quaranta. De costas, Renê Santana, filho de Telê

Telê Santana rodeado nos bastidores do SuperTécnico da Band. Da esquerda para a direita vemos Milton Neves, Mario Quaranta, Waldir Bonnas e Helio Sileman, então diretor da Traffic

Telê e Milton, durante o SuperTécnico

Telê observa a foto mostrada por Milton

Telê e Milton, durante o SuperTécnico

Fernando Casal de Rey, Telê e Milton Neves

Opine! 

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.

Blog do Milton Neves