PUBLICIDADE
Topo

Há seis anos os experts previram sobre Schumacher: "Ou morrerá ou vegetará"

Milton Neves

29/12/2019 04h00

1 Michael UOL

Foto: Reprodução

Há exatos seis anos eu curtia o gelado inverno do hemisfério norte.

Estava em Aspen, no Colorado (EUA), em 29 de dezembro de 2013, dia em que Michael Schumacher descia uma montanha do outro lado do Atlântico, na estação de esqui de Méribel, na França.

Naquele dia o alemão encontrava seu mais cruel adversário.

Parafraseando meu conterrâneo Carlos Drummond de Andrade, havia uma pedra no meio do caminho do heptacampeão mundial de Fórmula 1.

Desde o impacto de sua cabeça com a tal pedra, as informações minguaram sobre o real estado de saúde do genial ex-piloto.

Minha neta mais velha, Giulia, que estava comigo em um café, traduzia o que noticiavam pela tevê (sou monoglota), e também sobre o que os experientes esquiadores que estavam ali em Aspen comentavam ao nosso lado.

Um deles "cravou" o seguinte:

"Ou morrerá ou vegetará por anos", disse o expert esquiador, falando com tanta propriedade sobre o esporte quanto nós brasileiros falamos sobre futebol.

Infelizmente, parece que acertaram no segundo prognóstico.

Giulia, neta de Milton, ao lado do avô, a caminho do café em Aspen, onde ficaram sabendo do acidente sofrido por Michael Schumacher.

Aliás, alguns dias depois, encontrei  o amigo Abilio Diniz, e falamos exatamente sobre isso durante um ótimo almoço lá mesmo em Aspen.

O são-paulino Diniz, ótimo esquiador, também demonstrou desalento acerca do acidente de Michael Schumacher.

Abilio Diniz e Milton Neves almoçaram juntos em Aspen e falaram sobre o acidente de Schumacher, ocorrido alguns dias antes.

Verdade seja dita, há tantas dúvidas sobre o estado de saúde de Schumacher quanto sobre a causa que levou Senna ao fatal acidente no circuito de Imola, em 1º de maio de 1994.

Por sinal, caso tivesse sobrevivido, é bem provável que nosso tricampeão tivesse tido destino semelhante ao que parece estar reservado a Michael Schumacher.

A família de Schumacher, liderada por sua esposa Corinna, blindou o multicampeão.

Sua assessora de imprensa, Sabine Kehm, disse repetidas vezes que a saúde de Schumacher "não é uma questão pública".

É um desejo da família, então, que se respeite.

As especulações, desde 29 de dezembro de 2013, nunca cessaram.

Claro, se colocassem "as cartas na mesa", nada disso aconteceria.

Mas, enfim…

Milton Neves em dezembro de 2013 nas montanhas de Aspen, no Colorado (EUA). "Fui melhor como beque em Muzambinho do que esquiador…"

O que você, amigo internauta, acha disso?

Entende que a família não deve mesmo nenhuma satisfação aos fãs do ex-piloto?

Ou considera que poderiam esclarecer os fatos para que as especulações acabem?

O melhor?

Michael Schumacher ainda detém alguns recordes da F1, como títulos (sete), vitórias (91) e voltas mais rápidas (77), mas o britânico Lewis Hamilton já o superou em alguns, como poles, e está perto dos outros números do alemão…

Então, vale a pergunta: Michael Schumacher foi o melhor piloto de todos os tempos?

OPINE!!!

* CLIQUE AQUI E VEJA A PÁGINA DE MICHAEL SCHUMACHER NA SEÇÃO "QUE FIM LEVOU?".

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.

Blog do Milton Neves