PUBLICIDADE
Topo

Por que Félix sumiu após Brasil 4 x 1 Itália em 70?

Milton Neves

26/12/2019 13h00

Félix durante a comemoração do tri. Será que a ligação para a sua filha aconteceu antes ou depois desta foto?

"Pai, por que me chamam de 'filha do frangueiro' lá no 'culégio', pai?".

Curioso, mas nas pronúncias regionais do Brasil, o carioca fala "culégio", e não colégio.

Mas o importante foi a pergunta da garotinha Lígia, então com sete anos, filha caçula do saudoso goleiro Félix, ao telefone, conversando com o pai concentrado em Guanajuato em meio à Copa do México, em 1970.

Félix, Dona Marlene e as filhas Lígia e Patricia

Marlene (falecida em 2017), a esposa, ligou lá para o marido usando o telefone da vizinha de apartamento em Laranjeiras-RJ, e se falaram por um tempo.

Mas com a garotinha Lígia (hoje ela tem dois filhos e um neto) cutucando a mãe porque ela queria fazer ao pai a tal pergunta que tanto a incomodava e a intrigava todo dia ao voltar do "culégio".

Félix se casou com Dona Marlene em 1960

Félix então ouviu a pergunta da filha, pensou um pouquinho, não se abalou e respondeu que, "quando mocinho, filha, eu trabalhei na padaria do Seo Furriel lá na Mooca e minha função era cuidar do forno, assar, embalar e entregar os frangos assados para os fregueses que sempre faziam grandes filas na calçada", disfarçou.

Aliviada, Lígia ouviu, mandou beijos para o pai, devolveu o telefone preto grandão para a mãe e a vida seguiu com a seleção brasileira cada vez melhor na Copa de 70.

    A família de Félix torcendo para o Brasil duranta a Copa de 70

Foram seis vitórias implacáveis e um dia antes da final, contra a Itália, ele pediu e recebeu do jornalista Oldemário Touguinhó (1934 – 2003) os números de telefone que lhe dariam acesso à Embratel no Rio e à consequente conexão com seu apartamento alugado e sem telefone, algo raro e caro à época.

Mas ele tinha o número da vizinha, Neusa.

E o que fez, pensou e arquitetou Félix, desde que ouviu a pergunta "cruel" da tão ingênua filhinha?

Escreveu os números na parte de dentro de sua sunga branca ou da "saqueira" que os jogadores usavam antigamente, ficando sempre aparente a faixa branca separando o calção da camisa.

No Botafogo de Garrincha isso sempre foi muito marcante e até virou lenda.

Aí a bola rolou com o Brasil metendo 4 a 1 na Itália.

Foi uma festa só!

Os amorosos mexicanos invadiram o Estádio Azteca e praticamente despiram nosso time de Carlos Alberto Torres até Rivellino.

Quase todo mundo "pelado", a gente vê sempre nas reprises da Copa de 70!

Rivellino e Pelé comemoram o tri no gramado do Estádio Azteca

E aí, cadê o Félix?

Sim, na festa, naquela bagunça toda, o Félix… sumiu!

É que nos últimos minutos do jogo, já 4 a 1, lá do gol, ele tinha um olho na bola e outro na porta de acesso aos escritórios do estádio.

O juiz apitou, 4 a 1 na cabeça e ele se mandou do seu gol direto para aquela porta, ganhou o corredor e entrou gritando "teléfono", "teléfono", "teléfono"…

Félix, à direita, um bom tempo após o apito final do alemão Rudi Glöckner

Prontamente o atenderam, ele "colou" os números da "saqueira" do seu uniforme, a Embratel atendeu no Rio, transferiu a ligação "press collect call" para a vizinha da família Venerando e Dona Neusa foi chamar a esposa Marlene e a filha do goleiro herói, com ele ficando uns 50 segundos ouvindo os fogos do bairro das Laranjeiras, o que, claro, ocorria em todo o Brasil.

E quando a esposa falou "alô", Félix respondeu: "Meu bem, primeiro a Lígia, primeiro a Lígia".

E já com a menina ao telefone, Félix berrou como nunca na vida: "Filha, diga amanhã lá no colégio para seus amiguinhos e amiguinhas que seu pai não é frangueiro, mas que seu pai é campeãoooooooo do mundooooooooo…", gritou, chorando e repetindo várias vezes.

Félix com sua filha Patricia, logo que voltou do México, em 1970

Repetiu, repetiu e repetiu como em milhares de vezes infelizes e cruéis, jornalistas ou não, tanto já repetiram: "O Brasil ganhou a Copa de 70 apesar do Félix"!

Isso doía nele mais que sua morte física doeu e dói em toda sua bela família Venerando.

Em 2015, Milton Neves recebeu Lígia em seu escritório

Moral da história: Barbosa foi crucificado no Brasil por não ter ganho a Copa de 50 e Félix foi crucificado por ter ganho a Copa de 70.

País de ingratos!

Milton Neves, Renata Fan, Fábio Sormani, Félix e Ado, no programa "Golaço", da Rede Mulher, em 2005

Milton Neves fez homenagem ao histórico Félix narrando esse episódio em uma abertura do Domingo Esportivo Bandeirantes. Ouça o Cantinho da Saudade, criação de Fiori Gigliotti, na voz de Milton Neves, enaltecendo Félix:

No dia 24 de agosto de 2018, em conversa com o saudoso e querido apresentador Ricardo Boechat, na Rádio BandNews FM, Milton Neves se emocionou ao lembrar do goleiro campeão com a seleção brasileira na Copa do Mundo de 1970. Ouça abaixo:

Opine!

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.

Blog do Milton Neves