PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Blog do Milton Neves

Presidente da Federação Baiana de Futebol está de parabéns! É o primeiro a levar um projeto à CBF para a volta do "mata-mata" no Campeonato Brasileiro

Milton Neves

18/12/2014 11h38

Ednaldo Rodrigues

Foto: Ricardo Stuckert/CBF

Foi dado o primeiro passo!

Ednaldo Rodrigues (na foto acima, à direita, ao lado de Marco Polo Del Nero), presidente da Federação Baiana de Futebol, encaminhou nesta semana um projeto à CBF para a volta do "mata-mata" no Campeonato Brasileiro.

Segundo Rodrigues, o caminho agora é levar a ideia à Rede Globo, clubes e outras federações.

Pelo projeto, o campeonato teria dois grupos e se classificariam quatro times de cada.

Na sequência,  os oito primeiros colocados fariam uma decisão, jogando ida e volta nas quartas de final, e avançariam para semifinal e final.

Também aconteceria uma decisão de terceiro lugar para definir quem passaria direto à fase de grupos da Libertadores.

Ótimo também, seria uma disputa "faca nos dentes" entre os últimos oito colocados, um "mata-matinha", definindo os quatro últimos que seriam rebaixados.

Para Ednaldo Rodrigues, a propalada "justiça" dos pontos corridos, não se aplica aos montantes tão desiguais que os clubes recebem.

"Quando um clube recebe R$ 35 milhões de cota de TV e outro, que disputa a mesma competição, recebe R$ 110 milhões, o argumento da justiça cai por terra", diz Rodrigues, que vai mais longe, dizendo que o "mata-mata" evitaria os chamados "jogos vazios" das últimas rodadas e a farta distribuição de "malas" nas rodadas finais.

Está certíssimo o presidente da Federação Baiana de Futebol!

Que a ideia tome corpo, provocando um "efeito dominó", a ponto de um definitivo sepultamento dos intermináveis pontos corridos…

Pontos corridos opine

Sobre o autor

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.